Criatividade

Vogue substitui modelos por desenhos feitos por crianças no isolamento social

por: Vitor Paiva

Mais importante publicação do mundo fashion em todo o mundo, a revista Vogue parece estar se esforçando para fazer diferente – e fazer diferença – a partir de toda sua influência diante da pandemia atual: depois da edição brasileira da revista errar na escolha de capa recente, a versão italiana da Vogue decidiu, para sua capa de junho, substituir as tradicionais modelos por desenhos infantis. A ideia era enfatizar o impacto do novo coronavírus também sobre os pequenos, como as vítimas “menos óbvias” da pandemia, segundo o editor Emanuele Farneti.

Intitulada “Nosso novo mundo”, a capa da nova edição italiana convidou 100 crianças em idades entre 2 e 10 anos para “redesenharem” a capa com desenhos “vestindo” modelos da Vogue, das quais oito ilustrações foram selecionadas para estamparam oito diferentes capas para o novo número. Foram escolhidos os desenhos de Thomas, 4 anos, de Nova York, Nori, 5 anos, de Amsterdam, Tadzio, 6 anos, de Paris, Violetta, 5 anos de Milão, Camilla, de Dakar com somente 2 anos, Rachele, 5 anos, de Bolonha, Pietro, 6 anos, de Milão, e Giorgio, 10 anos, de Parma. “Essa edição foi criada para e com as crianças de diferentes países. Crianças são as mais esquecidas e menos óbvias vítimas da pandemia”, disse Farneti.

Segundo o editor, a ideia da publicação é de seguir o título começando a pensar esse “novo mundo” a partir das crianças. “O dilema das crianças é inevitavelmente composto pelo que se está estabelecendo em seus subconscientes durante esses meses de confusão e ansiedade, os quais a repercussão irá ganhar forma com o tempo”, disse o editor. O conceito de uma edição “intergeracional” se estende também ao conteúdo da revista: uma troca de cartas entre Luca, de 8 anos, e Giorgio Armani, assim como um ensaio feito pelo fotógrafo Steven Klein com seu filho Ace, de 4 anos, formam a edição.

Essa não é a primeira capa da revista a trazer uma capa especial em solidariedade às vítimas da pandemia e aos profissionais na linha de frente do combate à Covid-19: outra edição italiana foi recentemente lançada pela primeira vez com a capa toda em branco, e na Vogue do Reino Unido o último número trouxe na capa uma parteira, uma funcionária de um supermercado e uma motorista de trem, em tributo aos profissionais essenciais.

 

Publicidade

© fotos: Vogue/Instagram


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Professor de redação ensina como usar referências de Beyoncé a Racionais em vestibulares