Ciência

A professora que ganhou prêmio por incentivar inclusão de mulheres nas ciências exatas

por: Redação Hypeness

Em 2012, a engenheira de materiais Cristiane Agra Pimentel, de 43 anos, deixou o emprego no setor industrial para se tornar professora da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo Baiano). Além do magistério, ela também passou a se dedicar a projetos de incentivo a mulheres nas ciências exatas. Por conta do empenho na área, Cristiane recebeu o prêmio internacional de Ensino de Graduação 2021 da IEEE (Electrical and Electronic Engineers ou Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos, em tradução livre), uma grande organização americana voltada para o fomento de tecnologia no ramo.

“Fui a primeira mulher a atuar como engenheira de processos em uma indústria de fabricação de alumínio primário, em São Luís, em 2000. Ao acabar minha graduação, tive que passar por algumas situações que, se tivesse tido apoio e orientação durante a graduação, não teria passado”, conta a engenheira, que trabalhou em indústrias metalúrgicas de diversos estados, em entrevista ao “Universa”.

– Professora que viveu na Alemanha nazista ensina inglês online no Brasil

Cristiane Pimentel trabalha pela inclusão de cada vez mais mulheres nas ciências exatas

“O prêmio não veio por um projeto em si”, explica ao site. “A atuação nossa é composta de várias formas dentro da universidade e da sociedade. A gente atua para permitir uma igualdade, uma melhor atuação dessas meninas na área profissional voltada a área de exatas.”

– 72% dos artigos científicos publicados no Brasil são assinados por mulheres

Entre os projetos de que Cristiane participa e coordena estão o Women in Engineering (Mulheres na Engenharia, em tradução livre), que é voltado para alunas de graduação da UFRB; o Lean Healthcare, focado na gestão de hospitais da saúde pública brasileira por meio de uma equipe composta apenas por mulheres; e o Princesas da Tecnologia, em que ações são realizadas para despertar interesse de meninas pelas engenharias ainda no ensino médio.

Women in Engineering é um dos projetos conduzidos por Cristiane

Além da conquista do prêmio, os projetos conduzidos por Cristiane também estão apresentando frutos práticos na vida e no cotidiano das envolvidas. “A gente tem vários exemplos de meninas se destacando na área de exatas”, conta a engenheira, ainda em entrevista ao “Universa”.

– Como o mercado tecnológico tem trabalhado a fim de empoderar mulheres, negros, pessoas com deficiência e LGBT+

“Temos um grupo de elétrica e potência que está concorrendo a um dos três melhores prêmios de desenvolvimento de energia sustentável, por exemplo. Elas desenvolveram um poste para energia solar com a utilização de materiais reciclados para levar energia a comunidades que não tinham ainda energia elétrica. Hoje, temos meninas que atuam nas indústrias de grande porte da região”, completa.

Cristiane não coordena grupos apenas na Bahia, como também conduz ações em outras universidades espalhadas pelo Nordeste.

Publicidade

Fotos: Arquivo pessoal


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Dormir bem diminui risco de problemas cardíacos em até 42%, aponta estudo