Diversidade

Influenciadora com deficiência visual mostra como o emprego do ‘x’ para neutralização de gênero prejudica acessibilidade

por: Redação Hypeness

Youtuber e dona do canal “Como assim, cega?“, a jornalista Nathalia Santos produz conteúdos diversos sobre as próprias vivências enquanto pessoa com deficiência visual. Em um vídeo recente, a influenciadora explicou com detalhes por que o uso da letra “x” (xis) ou do sinal de “@” (arroba) atrapalham a acessibilidade para quem depende de leitores digitais que traduzem para áudio o que está escrito. A utilização de ambos os elementos costuma aparecer como alternativas para neutralizar o gênero de palavras em português.

Questão identitária para quem não se reconhece dentro dos parâmetros de binariedade de gênero, a neutralização de palavras que fazem diferenciação entre feminino e masculino tem sido uma demanda de setores do movimento LGBTQIA+. Contudo, o uso de letras ou símbolos não-legíveis ou de difícil pronúncia por programas eletrônicos de leitura em voz alta acaba prejudicando outra minoria social.

– Google apresenta recurso de voz para pessoas com deficiência visual

“A gente que é deficiente visual usa um leitor de tela, seja no celular, seja no computador […] A questão é que, quando a gente coloca o ‘x’ e o ‘@’ no lugar do artigo, ele não reconhece”, explica Nathalia.

– Tommy Hilfiger aposta em diretor com deficiência visual e arrasa em novo vídeo

“Fica muito difícil a nossa compreensão num texto, por exemplo, com várias palavras quando a gente coloca um ‘[email protected]’, um ‘todxs’. A gente não consegue entender. Às vezes, a gente precisa ler três, quatro vezes o mesmo texto, o mesmo artigo, pra chegar na mesma compreensão.”

Ana Gabi, uma usuária do Twitter, comentou sobre a mesma dificuldade ser enfrentada por pessoas com dislexia.

– Esse app ‘narra o mundo’ para pessoas com deficiência visual

Segundo a jornalista, existem algumas opções para não deixar de aplicar a neutralização de gênero. “Existem algumas alternativas. Como, por exemplo, colocar ‘todos e todas’, ‘amigos e amigas’. Às vezes, eu uso ‘todes’, eu ponho no lugar do artigo ‘o’ e ‘a’ o ‘e’, que também ajuda pra caramba”.

Nathalia mostra também na prática como o leitor de tela funciona durante o vídeo, que pode ser visto na íntegra no Instagram da influenciadora.

Publicidade

Fotos: Reprodução Instagram/@nathaliasantos


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
A história da 1ª parlamentar muçulmana e não-binária eleita nos EUA