Debate

Apartamento com idosa acamada e perto da morte foi anunciado em perfil de startup de imóveis

por: Yuri Ferreira

Uma reportagem do The Intercept Brasil mostrou que a start-up loft anunciou a venda de um apartamento com uma idosa de cama no meio do imóvel. A residência, localizada no bairro de Pinheiros, em São Paulo, era vendida pela start-up do mercado imobiliário pela bagatela de R$ 475 mil, preço considerado muito baixo para a região.

Nas imagens de divulgação do imóvel, uma residente em estado de cama aparecia em meio aos móveis, numa cena bastante trágica. A empresa retirou o anúncio do ar após denúncias pelas fotos, mas depois recolocou a foto em seu site.

– Coronavírus fez entregadores de delivery trabalharem mais e receberem menos

Dá uma olhada na bizarrice:

Imagem de senhora acamada em imóvel paulistano é aterrorizante

A jornalista Tatiana Dias ainda apurou que a senhora que aparece nas imagens morreu alguns dias antes do contato da Loft com a família que anunciou o apartamento.

A empresa se posicionou afirmando que a volta do anúncio ao ar foi um erro e que a privacidade de imagem da mulher foi garantida pelo ‘borrão’ feito no rosto da senhora. A empresa afirmou que “os proprietários do imóvel concordam, por meio do contrato de exclusividade, com a produção e divulgação de fotos do apartamento”. 

– Faxina agendada por R$ 19,90? App traz debate sobre precarização do trabalho

“A Loft se solidariza com os proprietários do apartamento, familiares desta senhora”, adicionou a Loft, que prometeu fazer a limpeza do imóvel e novas fotos, reiterando que o imóvel precisa ser vendido com urgência. A empresa consta como uma das start-ups ‘unicórnio’ e é auto-intitulada uma ’empresa bilionária’.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Loft


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.


X
Próxima notícia Hypeness:
Oscar Magrini diz que Globo tinha ‘sala do pó’ e do ‘c*’ ao falar de ‘teste do sofá’