Debate

Atriz de ‘Malhação’ que teve vídeo exposto em site pornô revela que quase se matou

por: Yuri Ferreira

A atriz Pillar Costa foi mais uma vítima da exposição de um vídeo seu em site pornô. A jovem artista que gravou ‘Malhação’ e tinha diversos trabalhos no teatro e nas redes sociais, recebeu a notícia pelo pai, que mandou um vídeo da filha dançando funk. O conteúdo estava hospedado na plataforma Xvideos.

As consequências para Pillar foram devastadoras, ela perdeu contato com o pai, que indagou se ela não  havia se tornado uma prostituta. A atriz, então, pediu para que o site retirasse o vídeo do ar – o que até aconteceu – só que um pouco tarde, já que a jovem perdeu contato com familiares e foi vítima de ataques pessoais na internet. Ela relatou o caso em um vídeo do Youtube.

– Ativista dinamarquesa posta fotos nua para combater a “vingança pornô” feita por seu ex-namorado 

A jovem atriz foi mais uma vítima do machismo que envolve a indústria pornográfica

“Foi um choque até processar tudo isso. Quando entrei no site e digitei meu nome, achei um vídeo meu dançando funk, de roupa, que tinha gravado para um canal de humor. O título era: a dançarina mais gostosa Pillar”, descreve.

– Mia Khalifa junta 1 milhão de assinaturas para a remoção de vídeos em sites pornô

“Meu pai ficou dois meses sem falar comigo. Muita gente me apontava, me questionava. descobri que já sabiam antes mesmo de me avisarem e aquilo me consumiu. Não porque me confundiram com garota de programa. Até porque, se eu fosse, ninguém teria nada com isso e não vejo como um problema. A questão é ser exposta sem qualquer defesa ou conhecimento”, afirmou.

Outro problema é que não existe proteção legal para esse tipo de caso; como o vídeo foi replicado em outra plataforma, a Lei Carolina Dieckmann (que só atende a casos de vídeos privados acessados de maneira ilegal) não cobre esse tipo de exposição.

– Startup oferece serviço de remoção de conteúdo para vítimas de pornografia de vingança

O dano psicológico causado em Pillar foi um dos piores possíveis. “Pensei em me matar de verdade. Escrevi uma carta e guardei. Minha irmã Anna Victória é que percebeu minhas atitudes estranhas e pediu ajuda”, afirmou, em vídeo.

Hoje, ela trabalha no projeto ‘Brancos Que Acolhem’ e está produzindo de maneira contínua a rede ‘Por Um Fio’, em que diversas mulheres são apoiadas por casos de violência doméstica, bullying e relacionamentos abusivos.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Instagram


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Joinville elege 1ª vereadora negra que rapidamente se torna alvo de racismo e ameaças de morte