Debate

Ciclone bomba atinge Centro-Sul, deixa 10 mortos e afunda barcos e lanchas

por: Kauê Vieira

O ciclone bomba que atinge o Centro-Sul do Brasil provocou a morte de pelo menos 10 pessoas e estragos em estados como Santa Catarina (que registrou 9 óbitos), Rio Grande do Sul (com ao menos 1 morte) e Paraná. Mais de 700 mil unidades, entre casas e estabelecimentos comerciais estão sem luz em SC. 

– Brasil vai usar aviões para se proteger de nuvem de gafanhotos que se aproxima do RS

Trabalhadores são salvos por morador de prédio em SC

Entre os mortos está um caminhoneiro de 59 anos que foi atingido por um muro que desabou. Segundo informações do G1, Sérgio Idalgo estava no pátio da transportadora que trabalhava em Santa Catarina quando foi surpreendido pela queda do muro, que o deixou preso entre um caminhão e a parede que colapsou. 

O fenômeno meteorológico causou ventos de até 130 km/h em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Imagens que circulam nas redes sociais mostram o rastro de destruição deixado pelo ciclone bomba, que destelhou casas e prédios, provocou ressaca no mar e queda de árvores. O resultado é que até a manhã desta quarta-feira (1), 711,3 mil unidades estavam sem energia elétrica, diz a Celesc. 

Mortes

A Defesa Civil de Santa Catarina, um dos estados mais atingidos pelos fortes ventos, afirma que uma pessoa morreu no município de Itaiópolis, uma em Rio dos Cedros e outra em Ilhota, no Vale do Itajaí. Mais cinco óbitos foram registrados na Grande Florianópolis e outra pessoa perdeu a vida no oeste de Santa Catarina. Segundo a Defesa Civil, buscas ocorrem para encontrar um desaparecido em Brusque.

Destruição em transportadora no Vale do Itajaí (SC)

– Com 18 graus, Antártica acaba de registrar temperatura mais alta da história

Em Balneário Camboriú, Santa Catarina, trabalhadores em um andaime foram surpreendidos pelas rajadas de vento e só se salvaram porque foram puxados para dentro de um apartamento por um dos moradores do prédio. 

Ciclone causa estragos em SP e RJ 

O ciclone bomba também chegou aos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. A madrugada na capital paulista foi de ventos de mais de 50 km/h. Em Peruíbe, no litoral paulista, duas lanchas e sete barcos afundaram por causa da força das águas do mar. Ninguém se feriu. 

“Como nós estamos sob o efeito da borda desse ciclone, também temos condições favoráveis para ventos fortes. O estado de São Paulo pode ter rajadas em torno dos 80 km por hora nesta quarta-feira”, disse ao G1 César Soares, meteorologista da Climatempo.

– Aquecimento global faz Ártico ferver e Sibéria registra quase 40 graus

O Rio de Janeiro deve ter ventos de até 76 km/h nesta quarta-feira (1) e o Centro de Operações da cidade espera ressaca com ondas de mais de 3 metros de altura

Ciclone bomba atinge Balneário Camboriú (SC)

O que é o ciclone bomba? 

Quem mora no Centro-Sul do país percebeu mudanças drásticas no tempo e na temperatura. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) explica que trata-se de um ciclone extratropical que passa pelo Brasil após surgir nas proximidades do Paraguai. 

Segundo meteorologistas, o fenômeno é bastante comum e nasce a partir das chamadas áreas de baixa pressão. Ele deve chegar ao oceano em breve, mas não antes de cruzar os estados localizados no Centro-Sul. Além dos ventos de mais de 130 km/h, o ciclone bomba provoca a queda das temperaturas. São Paulo, por exemplo, deve ter 8º C

O Centro de Gerenciamento de Emergências da capital paulista alerta para que as pessoas não se arrisquem dentro do mar. É melhor ouvir, pois o Corpo de Bombeiros fala em ondas de até 7 metros

Mais registros da passagem do ciclone bomba pelo Brasil: 

View this post on Instagram

#Repost @sintesmo • • • • • • SOLIDARIEDADE?? Professores/as aposentados/as realizaram campanha solidária aos atingidos/as de Descanso e Belmonte Professores/as aposentados/as de São Miguel do Oeste/SC, do grupo "Viver", junto com a Asmop, realizaram nos últimos dias uma campanha a fim de arrecadar quantidades em dinheiro para auxiliar as famílias dos municípios de Belmonte e Descanso, vítimas do tornado no dia 10 de junho. Esses valores segundo Lorici Facchinetto, da coordenação do Sinte, foram entregues como simbolo de solidariedade. "Os/as professores/as foram até os municípios para levar as doações e conversar com as famílias, prestar solidariedade diante da triste situação que estão vivendo, sendo que, muitas pessoas estão aglomeradas nas casas ainda, aguardando por mais doações para que possam retornar aos seus lares e reconstruir suas vidas", disse. ?Campanha do Sinte Regional O Sinte Regional já havia lançado uma Campanha Solidária para ajudar as pessoas atingidas pelo tornado no dia 10 de junho nos municípios de Belmonte e Descanso. As contas para as doações são as seguintes: ?Para o município de Belmonte: Banco do Brasil Agência:1385-4 Conta: 84550-7 ?Para o município de Descanso Fundo da Defesa Civil CNPJ: 15.079.814/0001-30 Banco do Brasil Agência: 1385-4 C/C – 13.921-1 ❤Seja solidário, sua ajuda poderá melhorar a vida de outras pessoas. Foto: Prefeitura de Belmonte/SC.

A post shared by Portal Desacato (@portal.desacato) on

View this post on Instagram

Este vídeo impressiona e ilustra o que foi o dia de ontem em diversas partes de Santa Catarina. Foram registrados ventos de até 120 km/h em um evento climático que atingiu o Estado do litoral ao oeste. A Celesc informou que cerca de 750 mil unidades consumidoras por todo o Estado continuavam sem energia elétrica. Estragos foram registrados em 83 municípios catarinenses até as 6h30 desta quarta-feira (1º). De acordo com a Defesa Civil 150 famílias estão desalojadas em diversos bairros de Florianópolis. ⠀ Até o momento, foram registradas 8 mortes em decorrência do temporal. Acompanhe a cobertura sobre os estragos em ndmais.com.br #NDmais #cicloneextratropical #ciclonebomba #santacatarina ⠀ Vídeo: Reprodução Redes Sociais

A post shared by ND Mais (@ndmais) on

 

Publicidade

Fotos: Reprodução


Kauê Vieira
Nascido na periferia da zona sul de São Paulo, Kauê Vieira é jornalista desde que se conhece por gente. Apaixonado pela profissão, acumula 10 anos de carreira, com destaque para passagens pela área de cultura. Foi coordenador de comunicação do Projeto Afreaka, idealizou duas edições de um festival promovendo encontros entre Brasil e África contemporânea, além de ter participado da produção de um livro paradidático sobre o ensino de África nas Escolas. Acumula ainda duas passagens pelo Portal Terra. Por fim, ao lado de suas funções no Hypeness, ministra um curso sobre mídia e representatividade e outras coisinhas mais.


X
Próxima notícia Hypeness:
Nicette Bruno, intubada e sedada para tratar covid-19 aos 87, está em estado considerado grave