Debate

Cobra naja pica estudante que fica em coma no DF; animal é comum em regiões da África

por: Yuri Ferreira

Um estudante de veterinário foi picado por uma cobra Naja no Distrito Federal. Ele está internado em coma, afetado pelo veneno do animal peçonhento. Não se sabe qual era a origem da Naja, comum em regiões da África, no sudoeste asiático e no subcontinente indiano e inexistente na natureza brasileira. Hospitalizado em um centro particular do DF, o jovem Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul estudava veterinária com ênfase em animais silvestres e exóticos.

– A história do fotógrafo que foi mordido por uma cobra venenosa, mas sobreviveu para terminar seu trabalho

Naja não é natural do Brasil; origem da cobra levanta suspeitas

O jovem foi picado na última terça-feira (7) e prontamente foi levado à Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Maria Auxiliadora, em Brasília. O soro antiofídico utilizado contra a peçonha da cobra não surtiu o efeito no jovem, mesmo chegando à capital federal no mesmo dia. A dose era a única no Brasil para esse tipo de picada, e foi disponibilizada pelo Instituto Butantan, centro de estudos biológicos da Universidade de São Paulo.

“A Naja é um gênero que pode produzir acidentes graves. [A espécie libera] uma neurotoxina que vai atuar no sistema nervoso central, que pode levar à paralisia respiratória”, afirmou a infectologista Joana D’arc Gonçalves ao G1 DF.

– O que aconteceu com o homem que injetava veneno de cobra em si mesmo diariamente

Pedro Henrique está com insuficiência respiratória e, devido ao sintoma, foi submetido à intubação com ventilação mecânica e sonda. Agora, para conseguir mais soro contra o veneno, somente uma importação seria possível, o que ficou dificultado por causa da pandemia do novo coronavírus.

Paira uma dúvida sobre a origem da cobra. Em nota ao Metrópoles, a Universidade de Brasília reiterou que o animal não era da UnB. O jovem foi levado ao Hospital pelos pais. Confira o que a instituição afirmou sobre o caso:

– É isso que acontece quando o veneno de cobra entra em contato com seu sangue

“O rapaz faz estágio na área de animais silvestres da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, mas o incidente não ocorreu na UnB (nem no local onde ele atua nem em outra área da Universidade). O animal não pertence à UnB. De todo modo, a UnB manifesta solidariedade ao jovem e a seus familiares e deseja sua pronta recuperação. Também aproveita para ressaltar a importância da cautela no trato com animais, em qualquer situação”, dizia a nota.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Adele e suas transformações elevam a máxima do ‘meu corpo, minhas regras’