Ciência

Cometa Neowise gera fotos incríveis de sua passagem pelo Brasil

por: Redação Hypeness

O cometa Neowise está brilhando para espectadores da Terra desde a semana passada. Embora ele não apareça nos céus brasileiros tanto quanto no hemisfério Norte, alguns fotógrafos sortudos – e talentosos – conseguiram captar o fenômeno. Dá uma olhada: 

Registro de Guilherme Campos, no Mato Grosso

– Muralha do Polo Sul: descobriram uma estrutura de galáxias gigante próxima da Via Láctea

Registro de Chico Rasta, no Piauí

Registro de Antônio Arguello no Mato Grosso do Sul

– Campo magnético da Terra está mudando mais rápido que se sabia; entenda

Registro de Abreu Mubarac, em Roraima

A olho nu, o Neowise parece apenas uma estrela mais borrada, uma manchinha nebulosa no céu, mas estando no lugar certo, na hora certa, é possível identificá-lo. É preciso estar em um ponto com o horizonte limpo, mais elevado e sem poluição atmosférica ou luminosa. E saber exatamente para onde olhar.

De acordo com as previsões, o Neowise será potencialmente visível no Brasil até a próxima quinta-feira (30). Vai se preparando para não perder! Apenas em cidades longe dos centros urbanos, de preferência mais ao Norte do país, talvez seja possível observá-lo sem ajuda de aparatos. 

– A história do primeiro cometa ‘alienígena’ identificado no sistema solar

Um software ou app de observação dos céus (como o Skywalk, Starchart ou Stellarium) pode te ajudar a encontrar essa posição. Como o cometa não está tão brilhante, um binóculo astronômico ou de longo alcance é um grande aliado ­­—com especificações 7×50 ou 10×50 (ampliação x diâmetro da lente), pelo menos.

Publicidade

Foto em destaque: Antônio Arguello


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Morte de médico brasileiro de 28 ano que participava dos testes da vacina de Oxford preocupa