Inovação

Coronavírus: Nasa inventa dispositivo que te impede de tocar o próprio rosto

por: Vitor Paiva

Toda medida para evitar a contaminação pela Covid-19 e, com isso, a disseminação do novo coronavírus, é bem vinda. Dentre máscaras, a higiene das mãos, o distanciamento social e o isolamento das quarentenas, um hábito se revelou mais recorrente do que jamais pudemos imaginar: nossa mania de levar as mãos ao rosto e de tocar nossos olhos, narinas e bocas. Para ajudar a evitar esse hábito que pode trazer o vírus para dentro de nossos corpos, ninguém menos que a NASA desenvolveu uma nova tecnologia que denuncia esse hábito, muitas vezes inconsciente, mas efetivamente perigoso em tempos de pandemia.

Criado por cientistas da agência espacial estadunidense através de impressoras 3D para ser usado como um colar, o PULSE alerta a pessoa que o veste através de um alarme que vibra e pulsa que ela está em vias de tocar seu rosto. Com um raio de alcance de cerca de 30 centímetros, o dispositivo utiliza sensores infravermelhos de percepção de movimento e aproximação para “denunciar” o gesto para o usuário. “PULSE é uma tecnologia simples e barata que pode ser facilmente reproduzida por qualquer um, para além de seu nível de conhecimento”, diz o anúncio da novidade. “Até que uma vacina confiável esteja disponível, PULSE pode ser integrado ao nosso dia-a-dia enquanto voltamos aos locais de trabalho”, diz, apontando para a reabertura que vem acontecendo em diversos países do mundo.

Segundo a NASA, a ideia é utilizar o PULSE junto de outras medidas como as máscaras, o distanciamento e a higiene das mãos: evitar o contato das mãos com as narinas, a boca e os olhos é também uma maneira de combater o contagio. Apesar de ser contaminação mais rara, é prática que ajuda a agravar a pandemia do novo coronavírus, mas que pode ser especialmente difícil de ser evitada – por isso a agência especial sugere que quem quiser pode e deve reproduzir a tecnologia do PULSE.

Apesar da reabertura estar sendo posta em prática em diversos lugares do mundo, em países como Brasil e EUA os índices da doença seguem alarmantes, perigosos e fatais. O site do PULSE ensina como produzir seu próprio colar – e a mudar nossos hábitos por nossa saúde, e pela saúde de todos.

Publicidade

© fotos: reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Restaurante em Israel serve somente carne de frango produzida em laboratório