Seleção Hypeness

Dia do Orgasmo: 7 perfis do Instagram para se autoconhecer e explorar seu prazer

por: Bárbara Martins

O orgasmo é o ápice do prazer sexual, tanto para mulheres, quanto para homens, e é comemorado no dia 31 de julho, o Dia Mundial do Orgasmo. Contudo, em uma sociedade patriarcal que pune qualquer forma de satisfação e de liberdade erótica não-masculina, ainda é tabu falar abertamente sobre as complexidades, problemáticas, descobertas e dúvidas que giram em torno da sexualidade feminina. Mas graças a produtoras de conteúdo em redes sociais como o Instagram, essa realidade está se transformando.

– Série fotográfica de mulheres antes, durante e depois do orgasmo rompe tabus sobre sexualidade feminina

Karol Conká manda a real sobre prazer feminino no clipe da música ‘Lalá’ / Foto: Reprodução YouTube

Na luta contra a repressão sobre assuntos como sexo e prazer por parte de mulheres, diversos perfis dedicados a desconstruir noções de promiscuidade relacionadas a quem fala sobre o assunto produzem diariamente materiais simples e didáticos com dicas, sugestões e informações sobre esse universo.

– Estudo aponta com que frequência mulheres hétero fingem orgasmo

Antes de chegarmos nas indicações de arrobas do Insta para se autoconhecer e entender como funciona o próprio prazer, é importante falar especificamente sobre duas questões: Como é o orgasmo feminino? Como saber se já tive um orgasmo?

Como é o orgasmo feminino?

Você já deve ter ouvido falar sobre inúmeras possibilidades de orgasmos femininos, certo? Eles podem acontecer a partir de estímulos no clitóris e na vagina, mas também podem ser atingidos a partir da estimulação de outras áreas erógenas do corpo, como seios e ânus.

– Maconha é capaz de intensificar o orgasmo feminino, confirma estudo

O clímax sexual geralmente dura poucos segundos e acarreta uma série de reações fisiológicas. Como explica reportagem de 2018 da “Superinteressante“, os batimentos cardíacos aceleram; adrenalina é liberada; artérias se dilatam; o pulmão coordena uma respiração rápida e curta. Segundo informações do site, o esforço físico para o sexo pode chegar a consumir a mesma quantidade de calorias que uma partida de tênis.

Após o ápice, o corpo relaxa e é comum o relato de uma grande sensação de tranquilidade.

Como saber se já tive um orgasmo?

O simples e velho “você vai saber quando sentir” não responde coisa alguma.

De acordo com informações da “Isto É” retiradas de um estudo publicado no periódico científico “Journal of Sex & Marital Therapy“, aproximadamente 60% da população de mulheres de todo o mundo sente dificuldades para ter orgasmos. Chamada de anorgasmia, a condição pode ter raízes sociais, psicológicas e também físicas.

– ‘Finjo mesmo, tô nem aí’: Simaria revela que simula orgasmos

Não há exatamente um padrão de reações para todas as mulheres no que diz respeito a orgasmos, mas alguns dos sinais de que você atingiu o clímax do prazer costumam ser: contrações involuntárias na vagina e no útero; bicos do peito ficam rígidos; os batimentos cardíacos aumentam; pequenos espasmos por músculos de todo o corpo; e sensação de que o clitóris está latejando.

Agora sim! Confira sete perfis do Instagram que podem te ajudar a ousar, experimentar e conhecer ainda mais como funciona o seu prazer.

@desfrute.se

Com a proposta de criar um ambiente onde é confortável conversar sobre autoconhecimento, sexualidade, sagrado feminino e outros assuntos relacionados a autocuidado de mulheres, nasceu o perfil @desfrute-se.

View this post on Instagram

Você já parou pra pensar o quanto a forma que você começou a descobrir e experimentar a sua sexualidade interfere na sua forma de transar e sentir prazer, hoje? Vou listar algumas coisas aqui, mas espero que com esse post, você possa se olhar com mais atenção a partir de hoje e que se de ao desfrute de cuidar daquilo que não tá indo bem na sua sexualidade e se libertar de uma vez por todas. Vamo lá! 1- Presenciar ou ouvir os pais fazendo sexo: Pode causar traumas sexuais em uma criança, ela ouve e/ou vê os pais fazendo sexo, mas não entende se eles tão brigando ou sofrendo, se uma das partes tá sendo agredida, etc e essa lembrança fica no inconsciente e quando ela vai reproduzir isso na vida adulta, acaba causando um monte de bloqueios. 2- A influência de uma religião que condena o sexo antes do casamento e defende sexo só pra procriação. A repressão de algumas religiões é tão forte e ainda reforçada pelo julgamento do círculo religioso, que transar se torna algo, perigoso e sujo. Pra nós, mulheres, a coisa fica pior ainda, pq sofremos julgamentos pesados que podem deixar marcas quase que irreversíveis na nossa sexualidade. Essa influência determina muito até onde deixamos nosso prazer chegar e até onde estamos dispostas a descobrir a nossa sexualidade, limitando um monte nosso lugar em uma relação, nosso potencial físico de prazer e os tipos de associações que fazemos com sexo. 3- A opressão e omissão dos pais sobre o assunto A probabilidade de dar merda é grande, pq essa repressão ou nos deixa com medo e toda travada diante da nossa propria sexualidade, o que nos deixa vulneráveis diante de um parceiro e aceitamos o que nos dão e acreditamos que é isso mesmo que tem pra hoje, ou ficamos muito curiosas e começamos a descobrir com terceiros e isso acaba sendo um caminho perigoso, pq por falta de maturidade e segurança emocional, acabamos cedendo a situações que não gostariamos ou passando algum constrangimento por falta de informação, oq por si só, vai fica respingando no inconsciente no futuro, com certeza. 4- Aprender com pornografia (vídeos e fotos): ou seja, o que aprendemos é uma grande mentira e estamos fazendo isso errado hehehe Continua nos comentários ➡

A post shared by DESFRUTE-SE (@desfrute.se) on

@meuclitorisminhasregras

De maneira leve e descontraída, o perfil “Meu Clitóris Minhas Regras” levanta discussões sobre como aprimorar a qualidade da masturbação feminina e quebra o imaginário de que, para ser bonita, uma pepeca precisa seguir um determinado padrão anatômico.

@mariasexcilia

Terapeuta sexual, consultora de intimidade e escritora, Maria “Sexcilia” comanda um perfil voltado para o empoderamento feminino por meio de conteúdo informativo e dicas maravilhosas sobre sexo e autoconhecimento.

View this post on Instagram

Mana, você criou coragem para se tocar ! ??????⠀ Por isso, quero compartilhar com você 5 dicas básicas para você entrar no clima da siri-rica ❤⠀ 1 – Não vai rolar prazer se você tiver pensando: nos boletos, na briga com o amô ou sabendo que sua mãe pode entrar a qualquer momento no seu quarto. Você precisa ter paz e segurança de que nesse momento ninguém vai te encher os ovários, combinado?⠀ 2 – Consegue um espelhinho ou um espelhão? É legal você dar uma olhada na sua bucet☝, trocar uma ideia de parceria e cumplicidade. Reconheça a beleza dela, certamente única e diferente de todas porque ela é exclusivamente sua. Pode até rolar um mantra : Xoxotaéamor , xoxotaéamor, xoxotaéamor…⠀ 3- Depois de dar uma namoradinha nela deite-se confortavelmente, de preferência nua, e acaricie os bicos dos seios, se preferir aperte, belisque ou, simplesmente toque suavemente com as pontas dos dedos acaricie a virilha, a pubis … ⠀ 4- Use o óleo de coco para fazer o toque na sua xoxot☝, comece pelos lábios externos, depois internos, massageie a região Clito uretro vaginal (região próxima do clitóris). Você pode fazer movimentos circulares lentos ou rápidos, pode apertar a região deixando os dedos em forma de V contornando o clit?ris, pode subir e descer os dedos por toda extensão da xoxot☝, pode explorar o que quiser conforme seu corpo for respondendo aos estímulos. ⠀ 5 – Por último, quando se sentir bem excitada arqueie um pouco o quadril simultaneamente aos movimentos dos dedos e contraia forte o assoalho pélvico, é provável que alcance o orgasmo durante essa manobra. Mas não foque no orgasmo! Curta cada etapa sem grandes expectativas, esteja presente em cada segundo.⠀ Isso é o mais importante!⠀ .⠀ Se funcionar depois conta para gente?⠀ ⠀ #prazerfeminino #prazersexual #empoderadas #orgasmo #orgamofeminino #sexologia #sexologa #saudesexual #vidasexual #sexualidade #libido #clitoris #sexualidade #empoderamentofeminino #orgasmofeminino #vidasexual #sexualidadefeminina #amoresexo

A post shared by Terapeuta Sexual e Escritora (@mariasexcilia) on

@the.vulva.gallery

“Uma celebração da diversidade de vulvas” é como se apresenta este perfil. Com inúmeras ilustrações que mostram as diferenças entre pepecas de todo o planeta, o @the.vulva.gallery também cumpre o papel de ensinar mais mulheres sobre a anatomia dos órgãos femininos.

View this post on Instagram

✨ Let’s talk about one of the coolest functions of the vulva and vagina: swelling and lubrication ✨ As these are important parts of how our anatomy works (and can enhance pleasure) I wanted to touch upon this topic today! One of the functions of the inner labia is to protect your vulvar vestibule and vagina from irritation and friction, and from bacteria and dirt. But did you know they serve an important function during sexual activities too? “Ok cool, so… What happens to the labia during arousal?” As the inner labia contain many nerve endings, blood vessels and erectile tissue, they can serve a very important function during sexual activities. When you're aroused, more blood flows to the inner labia: they become more sensitive and swell up, making the labia function as a ‘cushion’, which makes a lot of sex acts more comfortable. The outer labia and clitoris swell up during arousal too. Small addition: not everyone experiences much swelling during arousal – as every body is different our bodily functions will vary too ? “And what about lubrication, where does this come from?” Lubrication of the vagina happens through the mucous membranes that cover the vaginal walls (another example of mucous membranes is the inside of your mouth). As the vaginal lining has no glands, the vagina relies on other methods of lubrication. When you get aroused, blood flow increases, and due to increased pressure in the blood vessels, blood plasma (the liquid part of your blood) is pressed through the vaginal walls. This is considered to be the major source of vaginal lubrication. Near ovulation, cervical fluid provides additional lubrication. Besides this, the vulvovaginal glands (also known as Bartholin’s glands) produce fluid to lubricate the delicate tissue around your vaginal opening, to make sure the sensitive skin is protected. And finally, the paraurethral glands (also known as Skene’s glands, or the prostate) produce fluid too. Some of us have lots of lubrication, others stay relatively dry even when very aroused ✨ Yay for our anatomy and the awesome way our body works! ?? . . . #thevulvagallery

A post shared by The Vulva Gallery (@the.vulva.gallery) on

@shrimpteeth

Apesar de também ser em inglês [:(], o perfil @shrimpteeth comunica boas práticas de educação sexual com bastante foco na comunidade LGBTQ+.

View this post on Instagram

WASH YOUR HANDS! Pandemic is fucking horrible, but I think it's taught us all the importance of clean hands. Wash your hands before you have sex and keep your nails properly groomed. Before you get mad, I'm not saying you can't have acrylics, just be mindful that it increases the risk of getting scratches and infections. One of the easiest ways to prevent that is by wearing gloves. You can buy latex or nitrile gloves in large boxes (I like the brand Blackwork, I use them for tattooing too) and share them with your pals. Do note that some people are sensitive or allergic to latex, so nitrile can be a safer bet. Also, do not get the powdered kind! But once you know what works well for you, keep them as part of your safer-sex kits. Gloves are also a great option if you're having sex in a place where you can't wash your hands (?⛺️). Either way, be mindful of how your hand health impacts your cunt health! ? I’m available for peer-support sessions if you want to chat about polyam/ENM, queerness, sex, love, relationships. You can schedule on my website. Link in bio ❤️??❤️ #safesex #sextip #health #bedroom #playsafe #consent #queerlove #lesbianrelationships #relationshipanarchy #sexed

A post shared by Sam’s Clam, MA (@shrimpteeth) on

@clitorinea

Um grande canal para encontrar explicações, se informar e tirar dúvidas, o perfil @clitorinea se define como um “projeto de celebração do corpo e da sexualidade feminina”.

@vaginasemneura

A fisioterapeuta pélvica Ana Gehring usa o perfil com mais de 535 mil seguidores para nos lembrar de que a vagina é um músculo que precisa, sim, de exercícios.

Publicidade

Foto: Créditos na imagem


Bárbara Martins
Criada em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, é jornalista, fotógrafa e videomaker. Envolvida pela cultura, história e arte de subúrbios e periferias, dedicou pouco mais de dois anos à cobertura de pautas relacionadas à música como redatora do site Reverb, antigo parceiro do Rock in Rio. Em formação pela UFRJ, também tem experiência com produção de conteúdo para redes sociais, assessoria de imprensa e gravação de sessions e entrevistas.


X
Próxima notícia Hypeness:
‘Pretos que voam’: comissária quer bolsas para enegrecer aviação civil