Ciência

Estudo revela que USP é a instituição que mais publica artigos sobre canabidiol no mundo

por: Vitor Paiva

Poucas novidades são tão revolucionárias para a indústria farmacêutica quanto o desenvolvimento e a aplicação, nas últimas décadas, da maconha e seus derivados com função medicinal – o uso da maconha como remédio.

Nos EUA já se trata de mercado bilionário e com evidente potencial transformador de uma nova penicilina, e desde que, no final do ano passado, a venda de medicamentos à base de maconha foi liberada por aqui, o Brasil também entrou em tal corrida pelo futuro de nossa saúde. E não o fez com timidez: segundo estudo internacional divulgado recentemente, a Universidade de São Paulo (USP) é a instituição que mais publica artigos científicos sobre o canabidiol.

© Pixabay

O resultado foi revelado como parte do estudo “Global Trends in Cannabis and Cannabidiol Research from 1940 to 2019”(Tendências globais na pesquisa com cannabis e canabidiol de 1940 até 2019, em tradução livre), publicado na revista Current Pharmaceutical Biotechnology.

A USP lidera com o dobro de artigos em relação ao segundo colocado na lista, o King’s College London, do Reino Unido – e a unidade da Universidade de Ribeirão Preto tem em seu quadro quatro professores entre os dez mais produtivos ligados ao tema: Francisco Silveira Guimarães, Antonio Waldo Zuardi, José Alexandre Crippa e Jaime Hallak, no primeiro, segundo, o quinto e sétimo lugares respectivamente da lista.

A USP de Ribeirão Preto © Wikimedia Commons

A expectativa sobre o cenário brasileiro é alta: após a liberação pela Anvisa da venda e produção no final do ano passado, o primeiro extrato de canabidiol desenvolvido no Brasil finalmente foi posto à venda em maio por um laboratório paranaense.

Na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP, funciona o primeiro Centro de Pesquisas em Canabinóides do Brasil, criado para justamente o estudo e desenvolvimento esse tipo de medicamento, liderado por Antonio Waldo Zuardi.

“O centro deve aumentar ainda mais os estudos colaborativos para os resultados chegarem mais rapidamente aos pacientes e seus familiares, reduzindo o sofrimento e melhorando a qualidade de vida dessas pessoas”, afirmou Zuardi.

© Pixabay

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mais humanos estão evoluindo para ter três artérias nos braços; entenda porquê