Ciência

Experimento mostra a diferença de espirrar com e sem máscara

por: Redação Hypeness

Apesar da reabertura de restaurantes e bares trazer a falsa impressão de que a pandemia de coronavírus está sob controle, os cuidados para evitar a transmissão e o contágio por Covid-19 deveriam continuar com força máxima. Além dos crescentes números de mortes no Brasil e em diversos países do mundo, estudos e experimentos científicos como o do microbiologista e pesquisador americano Rich Davis mostram a importância do uso de máscaras e da execução constante de medidas de higiene para proteção individual e coletiva contra o vírus.

De acordo com os testes realizados e compartilhados por Rich no Twitter, usar máscaras pode diminuir drasticamente a propagação de gotículas e bactérias respiratórias. O experimento foi feito com o auxílio de culturas de ágar — uma espécie de gelatina extraída de algas para fins científicos —, e apresenta visualmente o que outros estudos já comprovaram.

– Transmissão de coronavírus em bares: vídeo manda a real choca negacionistas

“Este tipo de demonstração não é novo, e é por isso que eu definitivamente fiquei surpreso com a enorme resposta [das pessoas] online”, disse o cientista em entrevista ao site “Bored Panda“. Publicado no último dia 26 de junho na rede social, o tuíte já reuniu mais de 332 mil curtidas.

– Como uma das maiores favelas da Ásia controlou o coronavírus?

Para compartilhar o experimento, Rich separou fotos de duas demonstrações. Na primeira, o microbiologista espirrou, cantou, conversou e tossiu em direção a uma placa de cultura de ágar, com e sem máscara. “As colônias de bactérias mostram onde as gotas pousaram. Uma máscara bloqueia praticamente todas elas”, explica no post.

Ao comparar as amostras do lado esquerdo da imagem com as do lado direito, é possível observar a diferença na quantidade de bactérias expelidas para superfícies próximas quando se está sem máscara (lado esquerdo) e quando se está com máscara (lado direito). O resultado é chocante.

– UERJ desenvolve ‘coronatrack’ para detectar coronavírus no ambiente

Já nas imagens da segunda demonstração, Rich também demonstra a diferença da propagação de bactérias com e sem a utilização de máscaras, mas adiciona mais um elemento: o distanciamento. O cientista se posicionou a 60cm, a 80cm e a um metro de distância das culturas de ágar e tossiu durante 15 segundos em direção a cada uma delas.

Testes sem máscara à direita; testes com máscara à esquerda

As fotos não mentem: uso de máscaras aliado ao distanciamento social são formas eficazes de diminuir a propagação de gotículas que podem conter bactérias e vírus nocivos à saúde.

Publicidade

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
‘Borboleta espacial’ capturada há mais de 6 mil anos luz no espaço encanta por detalhes