Fotografia

Fotografias inéditas mostram vida dos gorilas mais raros e caçados do mundo

por: Vitor Paiva

Nas montanhas Mbe, no sudeste da Nigéria, um dos mais raros grupos de animais de toda a natureza foi finalmente registrado em imagens, a partir de uma armadilha fotográfica preparada na região: trata-se de um bando de Gorilas-do-rio-cross (Gorilla gorilla diehli) passeando com seus filhotes na área de fronteira entre Nigéria e Camarões, na África ocidental. O primata é uma das espécies mais ameaçadas de extinção do planeta, de tal forma que estimativas calculam que existam somente 300 indivíduos desse tipo de gorila, vivendo nessa região.

Nas últimas décadas foram raras as vezes que os animais foram sequer vistos – biólogos comumente reparam a presença do animal através de vestígios, da detecção de ninhos, esterco e restos de alimento. Nas imagens recém registradas, mais do que realizar as fotos e confirmar a presença, notar também o registro de filhotes e gorilas “adolescentes” tornou o feito ainda mais notável e raro para os pesquisadores.

“É extremamente emocionante ver tantos jovens gorilas-do-rio-cross, pois é um sinal encorajador de que esses gorilas agora estão bem protegidos e se reproduzem com sucesso após décadas anteriores de caça”, afirmou o diretor da Sociedade de Conservação da Vida Selvagem (WCS, em inglês) na Nigéria, Inaoyom Imong, em um comunicado. “Embora os caçadores na região não possam mais atacar os gorilas, a ameaça da caça permanece e precisamos continuar melhorando a eficácia de nossos esforços de proteção.”

A caça dos Gorilas-do-rio-cross é proibida no país, mas a ameaça dos caçadores segue alta e aguda – e confirmar a presença de jovens animais no grupo confirma, em boa notícia, a eficácia dos esforços de conservação de organizações e autoridades pela proteção da espécie. “Ver isso hoje reacende minha esperança de que nossas comunidades se beneficiarão do ecoturismo no futuro. Vamos fortalecer ainda mais nossas leis locais para proteger os gorilas-do-rio-cross nas montanhas Mbe”, afirmou Otu Bernard Eban, chefe do clã do Abo Clan e morador da região no país. “Desejamos aproveitar esta oportunidade para pedir apoio aos nossos parceiros para encontrarmos alternativas econômicas sustentáveis ​​à caça da carne de animais silvestres e outras atividades que destroem nossa floresta.”

Publicidade

© fotos: WCS Nigéria


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
10 fotos de mais de 160 anos foram coloridas para lembrar o horror da escravidão nos EUA