Debate

Jiboia é resgatada pela Polícia após comer cachorro em João Pessoa

por: Yuri Ferreira

Na semana passada, uma jiboia foi resgatada pelo Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb) de João Pessoa, na Paraíba, após ter comido um cachorro. Um trabalhador que estava limpando o mato de um terreno no bairro Portal do Sol, na capital paraibana, ligou para as autoridades após fazer a assustadora descoberta de que estava perto de uma serpente de 3 metros.

– Naja como a que picou homem no DF é vendida por R$ 7 mil; polícia apreende Píton-Indiana debilitada

Cobra foi encontrada em João Pessoa fazendo a digestão de um cachorro inteiro

Somente no período entre domingo (5) e terça-feira (7), o BPAmb resgatou três cobras. A serpente encontrada pelos policiais tinha um cachorro em seu sistema digestivo, que estava claramente ocupando um baita espaço dentro da jiboia. Essa cobra é conhecida por não ter peçonha. Seu método de ação é bem mais complexo: ela asfixia e mata sua presa, para depois engolir a vítima por inteiro e fazer a digestão por dias.

– Cobra naja pica estudante que fica em coma no DF; animal é comum em regiões da África

Por estar em processo de absorção de nutrientes a cobra não estava particularmente ativa: o resgate foi simples. Segundo os militares responsáveis pelo recuperação do animal, o surgimento sazonal de serpentes na região está relacionado com a época do ano e com o sistema fisiológico dos répteis.

Dá uma olhada no vídeo do animal:

“Nesse período de mudança de clima, com chuvas fortes em um dia e sol no dia seguinte, é comum o aparecimento dos chamados animais de sangue frio, que são aqueles que não são capazes de regular a temperatura de seu próprio corpo, a exemplo de serpentes e jacarés. Ao se deparar com esses animais, é importante acionar o Batalhão de Polícia Ambiental, ficar tendo só o contato visual e jamais tentar pegar, pois isso traz sérios riscos”, disse o tenente Wellington Aragão, porta-voz do BPAmb, ao UOL.

Publicidade

Fotos: Divulgação/BPAmb


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.


X
Próxima notícia Hypeness:
Policial é suspeito de matar artista negro que separava briga em bairro nobre de SP