Debate

Mulher que humilhou fiscal com diploma universitário é demitida: ‘Formado, melhor do que você’

por: Redação Hypeness

Dias depois da reabertura de bares e restaurantes no Rio de Janeiro, o que sobrou foram imagens de desrespeito e falta de educação com os mortos, familiares e pessoas que estão em quarentena para frear a dissminação do no novo coronavírus. Aglomeração nas calçadas, muita gente sem máscara e ameaças contra fiscais têm sido constantes. Imagens compartilhadas nas redes sociais chocaram o país, mas um caso específico em um vídeo exibido na edição de domingo (5) do Fantástico, da Rede Globo, chamou atenção.

Entre os intermináveis casos de desrespeito e negação de uma realidade que matou mais de 60 mil pessoas no Brasil, uma casal chamou a atenção pela falta de educação. Conforme mostrou o ‘Fantástico’, Flávio Graça, superintendente de Inovação, Pesquisa e Educação em Vigilância Sanitária, Fiscalização e Controle de Zoonoses da Prefeitura do Rio de Janeiro, foi ofendido por um casal durante a fiscalização dos bares que não cumpriam medidas de controle sanitário. 

– RJ tem ‘choppecídio’ com bares lotados e deboche. Cidade age como se coronavírus não existisse

“Cidadão não, engenheiro civil formado, melhor do que você”, afirmou uma das clientes de um dos estabelecimentos numa tentativa ultrapassada e sem sentido de se sentir superior apenas pelo fato de ter se formado. 

A mulher, que não foi identificada, acabou perdendo o emprego na Taesa – empresa privada que atua no setor de energia. A companhia se posicionou no Facebook afirmando que “tomou conhecimento do envolvimento de uma de suas empregadas em um caso de desrespeito às leis que visam reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus e compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio, sobretudo em um momento no qual o número de casos da doença segue em alta no Brasil e no mundo”.

A autora das ofensas contra Flávio não foi localizada pelos veículos de comunicação. 

A autora das ofensas foi demitida da empresa que trabalhava

– Vídeo mostra como coronavírus se espalha com velocidade em restaurante

“A TAESA tomou conhecimento do envolvimento de uma de suas empregadas em um caso de desrespeito às leis que visam reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus e compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio, sobretudo em um momento no qual o número de casos da doença segue em alta no Brasil e no mundo”, afirmou o comunicado.

Enquanto isso, em São Paulo, a reabertura de restaurantes, bares e cafés começa nesta segunda (6). Com o atraso por parte da prefeitura em divulgar as medidas de segurança necessárias para a retomada, a Cia. Tradicional de Comércio, dona de casas como Astor e Lanchonete da Cidade, fez, uma semana antes da retomada, uma espécie de dramatização com a equipe para antecipar situações de risco. 

– Bares e academias são apontados como supercontaminadores de coronavírus

Com a imprevisibilidade do mercado, mesmo com a dramatização, muitos comerciantes decidiram não reabrir. Os que participarão da reabertura, além de adotar os procedimentos recomendados como distanciamento das mesas, máscara para os funcionários e limpeza intensificada, adotarão outras medidas propostas pelo órgão — como um app no celular que lê o cardápio via QR code e faz o pedido por WhatsApp.

NOTA DE POSICIONAMENTO OFICIAL

A TAESA é uma companhia comprometida com a segurança e a saúde não apenas de seus…

Posted by Taesa on Monday, July 6, 2020

 

Publicidade

Foto: Reprodução / Rede Globo


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Seguranças que chicotearam jovem negro em mercado por furto de chocolate são condenados a 10 anos de prisão