Inspiração

Sabrina Parlatore diz que ficou 2 anos sem menstruar em menopausa precoce por causa de câncer

por: Yuri Ferreira


A apresentadora, modelo e cantora Sabrina Parlatore contou ao UOL um pouco das dificuldades que teve ao longo de sua batalha contra o câncer de mama.

Diagnosticada aos 40 anos de idade Parlatore, hoje com 45, contou que enfrentou problemas menstruais, incluindo uma menopausa precoce, graças ao tratamento agressivo que fez para combater a doença.

Parlatore venceu o câncer a altas custas: problemas hormonais afetaram saúde mental da apresentadora

Sabinra, que construiu uma carreira como modelo e depois passou por MTV, Band e TV Cultura, além de ter uma extensa produção como cantora, enfrentou a doença precoce e por isso resolveu abrir o jogo para que outras pessoas conheçam a importância do combate ao câncer de mama. Ela relembrou também a importância dos exames preventivos.

– Após diagnóstico de câncer de mama, pai de Beyoncé dá recado aos homens

“Aos 40 anos eu tive o câncer de mama, fiz um tratamento bastante agressivo e senti muitas alterações no meu corpo. Passei por 16 sessões de quimioterapia, 33 sessões de radioterapia. Durante a quimioterapia eu parei de menstruar”, contou ao Viva Bem. Ela teve uma experiência de menopausa precoce, com todos os típicos sintomas da transformação hormonal. “Rezo para que ela [a menstruaçõa] continue por muito tempo na minha vida, porque como eu tive a experiência de não menstruar no período do tratamento oncológico, eu sei o quão ruim é você ficar com uma baixa hormonal. Eu falo para as minhas amigas não reclamarem da menstruação, é uma benção”, disse em bate-papo com o UOL.

A eterna VJ da MTV usou as redes sociais para reforçar o recado e, claro, a já citada prevenção. “São 60 mil novos casos de câncer de mama por ano no Brasil. O diagnóstico precoce, como o meu, salva vidas. Nós mulheres precisamos estar sempre atentas ao nosso corpo, à nossa saúde. Procure seu médico e se informe sobre os exames adequados à sua faixa etária”, alertou.

– Racismo e câncer de mama: Charô Nunes fala sobre a relação entre pele, informação e tratamento

View this post on Instagram

19/05/2015… uma terça-feira. Há 5 anos. O dia em que recebi o diagnóstico de câncer de mama. Ao mesmo tempo em que o chão se abriu e me vi caindo num precipício decidi focar em solucionar o problema. Reuni força e coragem e parti para a batalha. Foram 10 meses de tratamento entre cirurgia, quimioterapia e radioterapia. Um protocolo fortíssimo mas necessário. Demorei muito pra me recuperar desse verdadeiro atropelamento. Sigo fazendo o acompanhamento de exames, agora anual. Desde então falo sobre a minha experiência em palestras pelo país. É muito bom poder levar esta minha história a tanta gente. Sinto que ajudo e sou ajudada também. São 60 mil novos casos de câncer de mama por ano no Brasil. O diagnóstico precoce, como o meu, salva vidas. Nós mulheres precisamos estar sempre atentas ao nosso corpo, à nossa saúde. Procure seu médico e se informe sobre os exames adequados à sua faixa etária. Deixo aqui a minha gratidão a todos os médicos e enfermeiros que cuidaram de mim com tanta dedicação. #cancerdemama #mamografia #ultrasomdemama #diagnosticoprecoce #breastcancer

A post shared by Sabrina Parlatore (@sabrinaparlaoficial) on


Relação com Rodrigo Rodrigues

Sabrina Parlatore também trabalhou com o jornalista Rodrigo Rodrigues e relembrou a trajetória que tiveram juntos na TV Cultura. Antes comunicador ser levado por José Trajano à ESPN, ele apresentou por quatro anos o ‘Vitrine’, da Cultura, ao lado de Parlatore. Rodrigues faleceu nesta semana por causa de uma trombose venal cerebral, consequência do novo coronavírus.

Os laços de amizade foram reforçados por Sabrina, que se juntou ao enorme movimento de homenagens e comoção nas redes sociais pela perda precoce de Rodrigo, que era um dos apresentadores do Sportv.  As postagens no Instagram são apenas uma maneira de exibir a relação entre os dois, que tinham uma harmonia muito boa para apresentar o ‘Vitrine’ e também eram muito amigos por trás das câmeras.

– Rodrigo Rodrigues, vítima de coronavírus, foi exemplo de cordialidade em tempos de ódio

“Hoje eu só quero te agradecer, meu querido irmão, por tudo o que você fez por aqui. Gratidão pelo privilégio de contar com a sua amizade. Por conhecer um ser humano magnânimo, raro, ímpar. Por acompanhar de perto o seu talento gigantesco e aprender muito com você. Temos muitos momentos juntos. Engraçado, espirituoso, sério, inteligente, culto, educado, cavalheiro e muito, muito mais. É o que você é. Eu imaginava que velhinhos, continuaríamos a botar a fofoca em dia e a dar muita risada. Ainda é difícil compreender o que aconteceu. Você é luz. Sempre será. Eu te amo do fundo do meu coração, onde você mora”.


Publicidade

Fotos: Reprodução/Instagram


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ela usou o Instagram para vencer o complexo de suas pernas e difundir a aceitação e o amor próprio