Sessão Hype

Selecionamos 8 filmes dirigidos ou estrelados por mulheres negras para serem vistos ou revistos hoje

por: Redação Hypeness

No dia 25 de julho é comemorado o importante Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, data reconhecida pela ONU e desde 2014 celebração nacional oficial no Brasil – em um país com mais de 54% da população negra, sustentado pela força, a cultura, o trabalho e a sabedoria dessas mulheres, mas que insiste em seguir batendo recordes de feminicídio.

Por aqui a data também celebra a vida, luta e história de Tereza de Benguela, líder quilombola morta em uma emboscada e que desde o século XVIII – em que viveu – serve de inspiração para outras mulheres negras no Brasil e no mundo. É, portanto, uma efeméride que merece todo destaque – e como representatividade é uma feliz palavra de ordem da atualidade, o destaque para a mulher negra também deve se dar nas artes, nas telas, na história do cinema.

A atriz Josephine Baker © Wikimedia Commons

A história das mulheres negras dentro do cinema – seja na frente, seja atrás das câmeras – é a história de Josephine Baker, a primeira atriz de Hollywood a estrelar um longa metragem, com ‘La Sirène des tropiques’, filme mudo de 1927; é também a história de Hattie McDaniel, a primeira atriz negra a ganhar o ‘Oscar’, por sua atuação em ‘…E O Vento Levou’, em 1940, ou de Tressie Souders, que em 1922 escreveu e dirigiu ‘A Woman’s Error’ para se tornar a primeira mulher negra a dirigir um filme em Hollywood.

Hattie McDaniel em cena de …E O Vento Levou © Reprodução

Por aqui, a história se inscreve através do nome da grande Ruth de Souza, dama do teatro, do cinema e da TV e primeira atriz brasileira a ser indicada a um prêmio internacional de cinema, ao ‘Leão de Ouro’ no ‘Festival de Veneza’ por ‘Sinhá Moça’, de 1953, e mais: foi Adélia Sampaio a primeira diretora de ficção negra no Brasil, com ‘Amor Maldito’, filme de 1948 que contava o caso real dos dilemas de uma mulher lésbica com a justiça.

A grande atriz Ruth de Souza © Wikimedia Commons

Se o racismo e o machismo seguem tragicamente pautando boa parte das relações profissionais e simbólicas dentro do cinema de modo geral, na mesma dimensão é a lista de grandes mulheres, verdadeira heroínas, que lutam para girar a roda e mudar o cinema – e, com isso, o mundo – para melhor.

A presença de mulheres na tela, seja qual for a história, é portanto fundamental para tal luta – e nada mais justo que preparar uma lista de filmes dirigidos ou protagonizados por mulheres negras para celebrar a data, e o Hypeness se juntou ao Telecine para tal seleção, que conta uma pequena parte mas celebra o todo da história das mulheres negras na sétima arte.

 Praça Paris (2018)

Dirigido por Lucia Murat em uma produção luso-brasileira, ‘Praça Paris é estrelado pela atriz Grace Passô, que dá vida à personagem Glória, uma ascensorista que procura auxílio da jovem terapeuta Camila para enfrentar sua própria história – de pobreza e violência, tão oposta à privilegiada história da psicóloga. O filme também traz no elenco Joana de Verona vivendo Camila, e Babu Santana.

O Ódio Que Você Semeia (2018)

A vida da adolescente negra Starr Carter, vivida por Amandla Stenberg, é posta do avesso emO Ódio Que Você Semeia, quando a jovem se torna a única testemunha do assassinato de seu amigo de infância por policiais brancos, em uma história ao mesmo tempo assombrosa, extraordinária e tragicamente corriqueira, nos EUA e no mundo. O filme foi aclamado pela crítica e recebeu diversos prêmios, com especial destaque à atuação de Stenberg.

Nós (2019)

Como todos os filmes de Jordan Peele, a narrativa de ‘Nós é ao mesmo tempo direta e metafórica, contando a história de Adelaide, interpretada por Lupita Nyong’o, em uma viagem de verão à praia que se transforma, com a chegada de um misterioso grupo, em uma assustadora perseguição por seus próprios duplos. O filme é um sucesso de crítica e público, e confirmou a importância tanto de Peele quanto de Lupita para o cinema atual.

O Guarda-Costas (1992)

Clássico romântico do cinema dos anos 1990, ‘O Guarda-Costas foi um dos mais bem sucedidos filmes da década ao contar a história de Rachel Marron, uma estrela da música e do cinema – vivida por Whitney Houston em sua estreia nas telas – que contrata um guarda-costas, vivido por Kevin Costner, para lhe proteger de ameaças que vem sofrendo. A trilha sonora do filme acompanhou o sucesso nas telas, vendendo mais de 45 milhões de cópias em todo o mundo.

Mudança de Hábito (1992)

Outro clássico do cinema dos anos 1990, ‘Mudança de Hábito consolidou o imenso estrelato de Whoopi Goldberg, comediante que dois anos antes havia estourado no mundo por sua atuação em Ghost, e que nesse filme vive uma cantora de boate que se vê forçada a entrar para um convento de freiras como parte de um programa de proteção à testemunha. Imenso sucesso de público e crítica, o filme é até hoje considerado um dos mais engraçados de sua época.

Foxy Brown (1974)

Clássico do gênero Blaxploitation – movimento cinematográfico estadunidense que nos anos 1970 lançou filmes de ação, violência e estilo pop feitos e protagonizados por artistas negros e tendo a população negra como público alvo -, Foxy Brown, estrelado por Pam Grier, conta a história de vingança da personagem que batiza o filme, após ver seu namorado policial ser assassinado por bandidos durante uma operação. Como em todo filme ligado a Blaxploitation, a trilha-sonora em ‘Foxy Brown’ é marcante, assinada por Willie Hutch.

As Viúvas (2018)

Estrelado pela grande Viola Davis, o filme ‘As Viúvas é dirigido por Steve McQueen e conta a história de um grupo de mulheres que, para pagar uma dívida com um chefe do crime depois que seus maridos, também criminosos, são mortos, decidem cometer um grande assalto. O filme foi aclamado pela crítica, e Viola Davis recebeu uma nomeação de Melhor Atriz no prêmio ‘Bafta’.

Rafiki (2018)

Tendo como pano de fundo a questão racial e a luta pelos direitos LGBT no Quênia, país de origem da obra, Rafiki’ é dirigido Wanuri Kahiu e conta a história de Kena e Ziki, duas jovens vividas por Samantha Mugatsia e Sheila Munyiva, que se apaixonam mas se veem diante da necessidade de enfrentar não só os comentários públicos como a própria justiça para poderem simplesmente viver esse amor. O filme foi banido em seu próprio país pela temática, mas se tornou a primeira obra queniana a ser exibida no ‘Festival de Cannes’.

Todos os filmes aqui selecionados estão disponíveis para serem assistidos na plataforma de streaming do Telecine. Essa seleção é parte de uma cinelist intitulada ‘Mulheres Negras‘, da mesma forma que esses filmes são somente uma ínfima parte de uma história maior e fundamental, que contempla a cultura negra, a feminilidade, a história das mulheres negras no Brasil e no mundo, e a mais importante luta social, econômica e cultural do nosso tempo.

Muitas outras listas sob o mesmo tema podem e devem ser formadas: o cinema mostra o mundo da mesma forma que também é parte dele – e por isso a celebração pelo Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, assim como por toda a história da luta das mulheres negras se passa também na grande tela e nas telas de nossas casas.

 

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Will Smith posa com elenco de ‘O Maluco no Pedaço’ e homenageia tio Phil em vídeo emocionante