Debate

Técnica se demite após contratação de goleiro Bruno: ‘Pode ser exemplo para alguém?’

por: Yuri Ferreira


A técnica de futebol Rose Costa pediu demissão do Rio Branco (AC) após o anúncio da contratação do ex-goleiro Bruno Fernandes, condenado pelo assassinato de Eliza Samúdio, crime cometido para evitar o pagamento de pensão para um de seus filhos.

A treinadora, que comandava o futebol feminino profissional do clube, ficou indignada com o contrato e afirmou que não irá comandar mais a equipe. Além disso, a profissional informou que outras atletas pretendem abandonar o clube o mais rápido possível.

Rose costa trabalha com esporte há mais de 30 anos e não aceitou a decisão da diretoria do Rio Branco

A polêmica contratação do clube acreano já levou também à perda do principal patrocinador da equipe, a rede Arasuper de mercados. Em comunicado oficial, a empresa comunicou que suspendeu o contrato de patrocínio com o clube e que só voltará a patrocinar o time quando Bruno não fazer mais parte do elenco.

Rose contra-argumentou de pronto a tese de ‘ressocialização‘. Para ela, a ressocialização de Bruno envolveria uma nova profissão que não fosse o esporte. Vale lembrar que a posição social de um atleta é de inspiração e idolatria. Bruno cometeu um brutal femincídio e não cumpriu a integridade da pena para qual foi sentenciado. Por isso, Rose saiu indignada.

– Ex-goleiro Bruno, condenado pelo assassinato de Eliza Samudio, estrela propaganda de canil e causa revolta

“Eu não acredito que a justiça tenha sido feita. Acho, sim, que a ressocialização é importante, mas, será que em sete anos de prisão ele não teve tempo de aprender outro tipo de trabalho?”, afirmou em entrevista ao UOL. Vale relembrar que o Rio Branco não participa de nenhum programa de ressocialização de ex-presidiários em nenhuma parte da estrutura organizacional do clube.

– Âncora do ‘JN’ cita feminicídio e critica fãs em fala contra contratação do goleiro Bruno

“Não posso manchar minha história no esporte, até porque, eu sempre digo: nunca será só futebol. É solidariedade e sororidade, também, muito além da prática esportiva. Tenho obrigação de ser um exemplo para as minhas atletas, e esse é o melhor exemplo que posso dar. Estou com a consciência tranquila”, completou Rose.

Agora Rose busca uma nova equipe. Ela trabalha há mais de 30 anos na área de educação física e esportes, e pretende continuar comandando times de futebol feminino. Para ela, a decisão da diretoria – que a duras penas iniciou um projeto de futebol feminino – é de se causar medo.

– Conversamos com as Dibradoras, as minas que deram um bico no machismo pelo amor ao futebol

“Foi uma revolta geral. As meninas estão aterrorizadas. Elas estão esperando eu decidir para onde eu vou porque elas querem ir comigo. Tinha três anos que o Rio Branco não participava do campeonato feminino, que não prestigiava. Já estávamos treinando a todo vapor, quando fomos pegas de surpresa por essa notícia. É muito contraditório”, afirmou Rose a Época.

Confira o comunicado oficial da treinadora sobre o caso:

View this post on Instagram

Informo que à partir desta data ME DESLIGO da função de técnica/treinadora do RIO BRANCO Futebol Clube FEMININO, motivo: a contratação do Goleiro Bruno para compor o elenco da equipe masculina do nosso ESTRELÃO. Quero aqui esclarecer que entendo o momento por qual passa o Rio Branco e a grande maioria dos clubes de futebol acreanos, as dificuldades financeiras como também a oportunidade da contratação do Goleiro Bruno, bem como, ainda, a sua “boa” intenção, no sentido de tornar a equipe competitiva e forte. Deixo minha gratidão pela oportunidade, mas preciso esclarecer também que minha história de vida como mulher e profissional me impendem de permanecer no Rio Branco. Como disse, não questiono e nem tampouco julgo suas decisões, mas preciso respeitar a minha história e minhas crenças de que educamos pelo exemplo, e no esporte de rendimento, atletas são figuras públicas, e socializam e influenciam comportamentos, e meu humilde entendimento é que essa oportunidade dada ao Goleiro Bruno, em nossa amada equipe, legitima a ineficiência das leis em nosso país, socializa ainda mais a impunidade aos feminicidas e por fim, macula a imagem da nossa equipe, pois o crime orquestrado por ele é reconhecidamente hediondo, e isso não deve ser personificado na função de atleta de rendimento do nosso clube que tem uma história linda na construção de grandes atletas que são espelhos para toda a nossa juventude e sociedade. Entendam: NUNCA FOI E NUNCA SERÁ SÓ FUTEBOL!!!

A post shared by Rose Costa (@rose_costavida04) on


Publicidade

Fotos: Arquivo Pessoal


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
‘Harry Potter’: astro da saga de JK Rowling revela luta de décadas contra vício em drogas