Tecnologia

Tecnologia 3D ajuda médicos ao mostrar como ficam os pulmões atingidos pela covid-19

por: Vitor Paiva

Enquanto os efeitos do relaxamento da quarentena ameaçam uma segunda onda nos países que já superaram os piores momentos iniciais da pandemia – e em outros, como os EUA e o Brasil, o auge parece não só não passar como somente se agravar a cada dia – , cientistas do mundo todo trabalham para desenvolver soluções contra a Covid-19 e, ao mesmo tempo, compreender mais e melhor a doença em toda sua complexidade. Para isso, cientistas britânicos desenvolveram um modelo impresso em 3D de um pulmão afetado pelo auge da infecção do coronavírus. Conforme noticiado pela Reuters Brasil, o modelo é feito em tamanho real e foi baseado na tomografia computadorizada de um paciente de Belfast, na Irlanda do Norte, infectado pela Covid-19 depois de 14 dias de desenvolvimento da doença no corpo.

A ideia é utilizar a novidade não só para ilustrar o impacto da doença sobre o órgão em seu auge, como também para o planejamento de eventuais cirurgias em casos mais graves: a impressão revela em amarelo o pus inflamatório presente no pulmão, assim como o tecido cicatrizado dentro das vias respiratórias que impedem o transporte do oxigênio para o sangue do paciente infectado, levando a costumeira falta de ar nos pacientes com a doença.

O paciente utilizado como base para o desenvolvimento do modelo felizmente sobreviveu, mas parte do estudo visa também apontar possíveis impactos permanentes provocados pela doença na saúde dos infectados.

A impressão é dividida em oito partes, permitindo assim que os médicos abram o pulmão impresso para uma visão mais ampla e detalhada dos efeitos da doença.

O modelo foi desenvolvido pela axial3D, uma empresa sediada em Belfast especializada em impressões 3D de produtos médicos, e tem também como objetivo sua utilização para educar a população sobre os efeitos letais da Covid-19 e, com isso, evitar uma segunda onda ainda mais grave da pandemia em todo o mundo.

Publicidade

© fotos: axil3D/divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Como a Nasa consegue contar árvores do espaço?