Ciência

Wi-fi no espaço passa por satélite instalado a 35 mil km de altitude na órbita da Terra

por: Vitor Paiva

Um dos maiores feitos da engenhosidade e da tecnologia humana, a Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês) funciona como um imenso laboratório espacial na órbita terrestre, recebendo astronautas a 408 quilômetros de altitude viajando a cerca de 27 mil km/h ao redor de nosso planeta, e sempre habitado – no momento, três pessoas vivem na Estação.

E ainda que se trate de uma das mais incríveis jornadas e com uma espetacular vista da Terra como recompensa, viver por meses na microgravidade da Estação Espacial pode trazer uma terrível saudade de casa – e é nessa hora que a internet se torna um antídoto contra toda essa saudade. Mas como funciona a conexão na ISS? Como é o Wi-fi espacial?

A Estação Espacial Internacional © Wikimedia Commons

A ISS passou a oferecer conexão à internet desde 2010, a fim de melhorar a qualidade de vida dos astronautas vivendo na estação. A velocidade da conexão não é exatamente a melhor, e utiliza a mesma telemetria através da qual a equipe de terra troca informações e contatos com a tripulação para conectar os astronautas à rede.

Cada informação acionada é enviada para uma rede de satélites ao redor do planeta, localizada a 35 mil km de altura, que se conecta a receptores no solo, onde um computador entre todos esses dispositivos conectados: a estação espacial, os satélites, os receptores em solo, as instalações da NASA e a própria internet comum. Todos esse caminho é percorrido dos tablets, smartphones e laptops dos astronautas para que um clique leve a outro.

A astronauta Sunita Williams acessando à internet na ISS © NASA

A base dessa conexão é especialmente rápida, partindo de uma rede de 600 Mbps. O que torna a navegação lenta é o fator mais evidente: a distância que o sinal precisa percorrer entre a Estação e a superfície, o que provoca uma latência muito maior do que em uma conexão normal em nosso cotidiano terreno.

Segundo astronautas, usar a internet na ISS é como retornar às conexões discadas do final dos anos 1990 – com o ponto determinante de que se trata de uma rede de trabalho e para conexão com familiares e amigos: os astronautas não podem acessar o que quiserem a partir da Estação.

© NASA

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Os deslumbrantes vestígios laranja neon de uma estrela morta capturados pela NASA