Inspiração

As cavernas hippies de Mátala que abrigaram Joni Mitchell nos anos 1960

por: Redação Hypeness

E eles estão tocando aquele rock ‘n’ roll arranhado debaixo da lua de Mátala.” O céu do vilarejo de Mátala, na ilha grega de Creta, ficou marcado nas letras e na vida de Joni Mitchell, que escolheu as cavernas desse canto do Mediterrâneo para viver por um tempo ao lado de um grupo de hippies que havia se estabelecido no local. A experiência inspirou parte da letra de “Carey”, música do álbum “Blue”, de 1971.  

Fotos raras mostram como era a vida em comunidades hippies dos anos 1960

Joni Mitchell, aos 29 anos, durante uma entrevista em Amsterdã, em 1972.

Mátala estava fora dos roteiros turísticos até a chegada de uma comunidade hippie mochileira na década de 1960. Nômades, eles escolheram as cavernas nas falésias à beira mar para viverem. As grutas haviam sido utilizadas em séculos passados como criptas funerárias. 

Joni Mitchell acabou em Mátala após terminar com seu então namorado, o cantor Graham Nash. Em uma entrevista ao “Wall Street Journal”, a cantora de 76 anos contou que estava passeando com uma amiga por Atenas. Sua aparência física chamou a atenção de cidadãos locais que ficaram repetindo “Mátala, Mátala” para ela. Sem entender o que significava, pediu para traduzirem e ouviu como resposta: “Hippie, hippie, vá para Mátala!” e ela foi. 

Conheça as encantadoras cavernas azuis da Grécia

Lá, conheceu Carey, que dá nome à canção. “Nós alugamos uma cabana e caminhamos até a praia. Enquanto estávamos olhando, algo explodiu atrás de nós. Eu me virei e vi esse cara de barba ruiva saindo pela porta de um café. Ele era americano e cozinheiro em um dos cafés de lá. Quando ele ligou o fogão, o fogão explodiu. Foi assim que o conheci”, ela lembra. 

Depois de se separar da amiga que a acompanhava, que havia sumido, Joni acabou engatando um romance com Carey e se mudou para as cavernas com ele. Os dois dormiam em superfícies de seixos da praia cobertos de capim. Quando a maré estava alta, Joni conta que as paredes das cavernas estremeciam. 

O incrível acervo de fotos de grandes artistas descoberto no fundo de um armário de um fotógrafo

Joni deixou a ilha depois de um tempo, ao perceber que não havia mais condições de viver como alguém das cavernas. Ela não foi a única famosa a escolher ficar por ali: Bob Dylan e Cat Stevens também foram moradores temporários das cavernas do vilarejo.

Anos depois, militares expulsaram todos os que moravam nas grutas e o lugar foi cercado — apesar de até hoje ser aberto à visitação. Mas nada de morar por ali. 

Joni Mitchell e Carey na ilha de Creta.

Uma das cavernas habitadas em Mátala, na ilha de Creta, nos anos 1960.

 

A ilha de Mátala vista de dentro de um de seus cafés.

Publicidade

Fotos 1, 2, 4 e 5: Getty Images / Foto 3: Acervo pessoal


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ashley Graham faz coração com estrias em demonstração de amor ao próprio corpo