Debate

Mãe entregadora que precisou trabalhar com 2 filhas no colo diz que marido só joga videogame

por: Yuri Ferreira

Uma foto de uma entregadora de delivery cuidando de duas crianças enquanto estava no metrô viralizou nas redes sociais e mostrou duas faces perversas do mundo em que vivemos: a precarização trabalhista e a dupla jornada de trabalho das mães solo. Lada Koroleva, a mulher registrada no metrô de Rostov do Don, na Rússia, tem apenas 19 anos e, em entrevista ao portal norte-americano Bored Panda, contou um pouco de sua história.

A mãe de duas filhas afirmou que, para superar as dificuldades financeiras e a falta de apoio de familiares, tem de levar as crianças para o trabalho, podendo sustentá-las com o que ganha na empresa Delivery Club, que tem modelo de emprego precarizado similar ao de companhias como iFood, Rappi e Uber Eats. Além disso, seu agora ex-marido não se preocupava com as crianças e nem com as contas da casa.

– Maternidade solo e pandemia: especialistas refletem sobre o retorno às atividades normais

Lada junto de suas duas crianças; trabalho precarizado e ausência paterna levam família a se arriscar durante a pandemia

“Não tenho apoio da minha família e meu marido passa o dia inteiro jogando videogame. Deixar as crianças com ele não é uma opção. Amo muito minhas filhas e preciso trabalhar para sustentá-las”, afirmou Lada.

– Coronavirus, isolamento social e a sobrecarga de mulheres mães

A foto da entregadora cuidando das crianças no transporte público de Rostov do Don viralizou após ser compartilhada no Facebook. Muita gente elogiou o trabalho da mãe, que tem lutado pela sobrevivência de suas filhas. Na Rússia, a taxa de desemprego subiu para 15% em meio à pandemia, com cerca de 10 milhões de desempregados.

Dificuldade de pedir divórcio  

No Brasil, a história similar de uma mulher que precisou levar o filho ao trabalho rendeu uma das grandes tragédias de 2020. A empregada doméstica Mirtes levou Miguel, de 5 anos de idade, para a casa da patroa Sarí Corte Real. Conforme mostram imagens e investigações, a criança morreu por negligência da patroa. Entenda melhor o caso aqui.

Essa foi a imagem que viralizou nas redes sociais

“Nos comentários, muita gente me condenou, dizendo que sou a culpada pela minha situação por ter duas filhas, mas eu só quero dar uma vida melhor para elas. Atualmente, estou em busca de um trabalho remoto para que seja mais fácil conciliar o serviço com o dia a dia das meninas”, disse ao Bored Panda.

Agora, Lada vive sozinha com as filhas e tenta o divórcio de seu marido, mas passa por dificuldades para comprovação de renda – conforme postou em suas redes sociais recentemente – por questões burocráticas da start-up Delivery Club.

“Eu abandonei o delivery recentemente e agora busco um trabalho remoto para cuidar melhor de minhas crianças. Agradeço muito o meu trabalho de entregador, mas encontrei outras pessoas para me ajudarem, e estou fazendo trabalhos de doméstica e de cuidadora de crianças”, relatou Lada.

Lada Koroleva nega fraude

A viralização da fotografia da jovem com duas crianças no metrô fez com que a mídia russa descobrisse algumas acusações de fraude contra Lada Koroleva. O portal Medusa conta que ela já apareceu empurrando um carrinho com duas crianças, só que com a mochila de outra empresa de entrega.

Na ocasião, ela disse aos jornalistas que o marido estava no exército e não ganhava o suficiente do governo para manter a família. Desta vez, Lada afirma que o companheiro não faz nada além de jogar videogame. O dinheiro gerado pela comoção das pessoas, segundo uma fonte do portal Medusa, nunca foi usado para pagar débitos como o aluguel. Lada negou a fraude e segue pedindo ajuda das pessoas nas redes sociais.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Twitter


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Coronavírus: ES quer retomar aulas com protocolo de despedida em caso de morte de alunos ou professores