Debate

Mulher filmada e sexualizada ao praticar yoga diz que entrou em choque e vomitou: ‘Muito violentada’

por: Redação Hypeness

Mais uma história sobre a violação dos direitos de ir e vir das mulheres. No caso de Mariana Maduro, do seu direito de praticar yoga. Ela foi filmada sem consentimento enquanto praticava o esporte na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio de Janeiro. No vídeo, homens fazem comentários e gestos obscenos sobre o seu corpo. 

Sem notar que havia sido filmada, a advogada e professora só tomou conhecimento da situação ao descobrir que o vídeo havia viralizado na internet. Ela apareceu no programa ‘Encontro’, da apresentadora Fátima Bernardes, e fez um desabafo sobre o que passou. 

“Na hora que eu vi foi um choque muito grande, eu só consegui vomitar. Não acreditei no que estava acontecendo, que a minha prática, tão bonita, tinha virado algo sexualizado. Eles conseguem sexualizar uma coisa que é tão bonita”, contou. 

– Jovem estuprada no Cafe de la Musique expõe manipulação de fotos feita por defesa de acusado 

Mariana Maduro durante participação no programa “Encontro”.

Mariana iniciou a prática do yoga durante a pandemia como uma forma de combater sintomas da depressão. Entretanto, para ela, não faz mais sentido realizar o exercício porque sempre ‘vai pensar em um idiota se masturbando’ enquanto tenta cuidar do seu próprio corpo.

Por enquanto, a praticante de yoga convive com as consequências desta violência. “Eu me senti muito violentada. Essa pessoa está me colocando em uma posição de objeto para 300 mil seguidores como se eu fosse um produto, como os que ele posta. Eu não quero mais sair de casa, não quero mais fazer atividade física”.

– Duas acusações de estupro e uma de tentativa contra Prior reacendem debate sobre machismo no ‘BBB’

Mariana também comentou que, mesmo diante de ameaças, teve forças para denunciar e que espera que o seu caso inspire outras mulheres a não se calarem. Ela denunciou o vídeo na 12ª DP (Copacabana) e os agressores foram identificados: são eles o empresário Ricardo Roriz e o vendedor ambulante Celsão. Os dois estão sendo investigados por crimes de perturbação de tranquilidade, ato obsceno e injúria. 

– Vítima diz que homem tentou se masturbar no trem e denuncia assédio: ‘Não se calem’

Ricardo Roriz é um dos agressores já identificado

“Ele tentou me ameaçar várias vezes. Tenho posts dele que foram apagados, inclusive, em que ele ameaça: ‘só um de nós sobreviverá, é uma guerra’. Tive que ter uma frieza e me impor como mulher, porque a maioria das mulheres se intimidam mesmo […] A minha rede de apoio foi muito importante porque, no momento em que vejo aquilo, me sinto segura para denunciar”.

Durante a entrevista, ela reforçou: “Essa cultura de que nós somos um objeto precisa acabar. Denunciem, não se sintam sozinhas. Isso vai servir tanto para os homens, para que possam entender que isso machuca e fere”.

As pessoas nas redes sociais se solidarizaram com a vítima de mais um caso de machismo no Brasil:

1. 

2.

3.

4.

Publicidade

Foto: Reprodução/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Repórter é xingada de ‘macaca’ por funcionário público racista do Rio de Janeiro