Sustentabilidade

Pantanal arde em chamas e registra crescimento de 200% nas queimadas

26 • 08 • 2020 às 19:04
Atualizada em 26 • 08 • 2020 às 19:05
Redação Hypeness
Redação Hypeness Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

A região do Pantanal, no Centro-Oeste brasileiro, enfrenta uma verdadeira tragédia. Desde o dia primeiro de janeiro deste ano até o último dia 20 de agosto foram detectados mais de oito mil focos de queimadas, maior número desde que os registros começaram a ser feitos, em 1998. As informações são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e representam um aumento de 205% em relação ao ano passado. 

11 lugares com águas cristalinas pelo Brasil que você precisa conhecer

Chamas avançam sobre a mata no estado no Mato Grosso, na região do Pantanal.

O clima seco na região é um dos fatores que fazem o fogo avançar, mas não são o único motivo. A ação humana na região, colocando fogo nas pastagens ou a título e limpeza, funcionou como um verdadeiro catalisador das queimadas. Vale lembrar que o Centro-Oeste brasileiro é uma região com extensa atividade agropecuária. As cidades de Poconé, no Mato Grosso, e de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, perto da fronteira com a Bolívia, são os municípios com o maior número de focos de incêndio (1.397 e 1.310, respectivamente). 

Como Ricardo Salles, com pedido de afastamento pelo MPF, degradou ainda mais o meio ambiente

Período de estiagem severo e desmatamento crescente estão devastando o bioma.

De acordo com Júlio Cesar Sampaio, líder local do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), o mês de agosto costuma ser de estiagem, mas locais que ainda deveriam estar inundados da chuva de outros meses secaram. Para se ter uma ideia, o rio Paraguai, principal afluente da região, costuma alcançar 5,6 metros de média durante o período de cheias. O valor registrado em junho pela Marinha do Brasil foi de menos da metade: apenas 2,1 metros. 

A expectativa para os próximos meses não é boa e pesquisadores já afirmam que o atual momento do Pantanal é a maior tragédia ambiental de sua história. 

7 fotos retratam horror de incêndios na Austrália

Bombeiro tenta apagar as chamas que consomem a vegetação.

Publicidade

Fotos: Mayke Toscano/Secretaria de Comunicação do Mato Grosso


Canais Especiais Hypeness