Debate

Pastores se vestem de PM para internar dependentes químicos sem consentimento, diz Intercept

por: Yuri Ferreira

Uma reportagem do The Intercept Brasil  mostrou que pastores evangélicos autodenominados ‘Batalhão da Patrulha da Paz’ se vestiam com fardamento similar ao da Polícia Militar para pernder à força usuários de drogas nas ruas de Brasília. O trabalho da repórter Amanda Audi dá conta que o grupo chegou a internar pessoas em centros de reabilitação para dependentes químicos. Eles agem vestidos com fardamentos e carros que se passam por viaturas policiais para realizar o que foi batizado de “abordagem social”.

Um vídeo publicado pelo jornal mostra viaturas com sirenes ligadas abordando jovens durante a noite no bairro de Sol Nascente, na Ceilândia, DF. Os pastores fardados se aproximaram de jovens negros e começam a fazer pregações, colocando música gospel no último volume e os incentivando a entrar nas clínicas de reabilitação com fundamentação cristã.

– Universal é acusada de racismo e obrigação de vasectomia por pastores de Angola; entenda

Pastores emulam vestimenta militar, mas isso é crime

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados do Distrito Federal realiza investigação contra o grupo e afirma que eles “realizariam ações de violência contra pessoas em situação de rua, constrangendo-as e, em alguns casos, levando de forma forçada para internação em comunidades terapêuticas para tratamento de pessoas que usam drogas”.

A prática é considerada criminosa, tipificada nos artigos 45 e 46 do Código Penal, que estipula que fingir ser funcionário público não é legal. Pelo contrário, é passível de punição penal. Segundo a reportagem, o ‘Batalhão da Patrulha da Paz’ age desde 2011 e nunca foi cerceado pelas autoridades policiais do Distrito Federal.

– Após chamar Nossa Senhora de ‘desgraçada’, Universal apaga vídeo e pede desculpas

Ao The Intercept, o presidente da CDH da Câmara dos Deputados, Fábio Félix (PSOL), explicou as práticas dos religiosos. “Eles simulam ser uma força do estado para abordar pessoas em situação de extrema vulnerabilidade. Isso no mínimo serve para confundir as pessoas, que imaginam que eles são militares de verdade”, afirma.

Em vídeos, é possível ver a equipe fazendo práticas de defesa pessoal em um treinamento que em muito se assemelha com o das autoridades policiais. O pastor que chefia a trupe, Gilmar Bezerra Campos, da Assembleia de Deus do Guará, explica mesmo com os ares paramilitares, nunca utilizou da força contra a população.

– O papel do Brasil na revolta contra a Igreja Universal que gerou mortes e crise diplomática na África

A ideia de uma força paramilitar evangélica não é nova. Em 2017, os ‘Gladiadores do Altar’, da Igreja Universal, também formaram uma espécie de milícia com treinamento militar para defender os interesses religiosos. A polêmica provou a dissolução.

Confira o vídeo publicado pelo The Intercept Brasil sobre a ação em Brasília:

Publicidade

Fotos: Reprodução/Facebook


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Matrix: uso de óculos de sol por personagens pode ser mais do que uma questão estética