Sustentabilidade

Traficante picado por naja contrabandeava há 3 anos e cobrava R$ 500 por filhote, diz TV; cobra está em SP

por: Redação Hypeness

Patrocinado por:
Notice: Undefined index: facebook_titulo in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/single.php on line 90

O estudante de medicina veterinária Pedro Henrique Krambeck, será indiciado por tráfico de animais silvestres e por maus-tratos pelo número correspondente de cobras relacionadas a ele: 23. Além disso, responderá por associação criminosa e exercício ilegal da profissão. 

A investigação começou depois que Krambeck foi picado por uma cobra naja no dia 7 de julho. Ele chegou a passar seis dias internado em um hospital particular do DF, sendo cinco dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 

O traficante vendia os filhotes de cobra por R$ 500

– Naja como a que picou homem no DF é vendida por R$ 7 mil; polícia apreende Píton-Indiana debilitada

Depois de receber alta, o traficante foi preso em casa, no Guará, durante a 4ª fase da Operação Snake. De acordo com a Polícia Civil, um perito médico-legista acompanhou o cumprimento do mandado de prisão para verificar suas condições de saúde. Krambeck chegou a ficar preso por dois dias na Divisão de Controle e Custódia de Presos (DCCP) por atrapalhar as investigações, mas teve a prisão revogada e foi liberado.

A Polícia Federal do Distrito Federal concluiu a investigação com a informação de que o traficante atuava desde 2017 é cobrava R$ 500 por filhotes de animais silvestres. 

A naja já está no Instituto Butantan, em SP

A naja já está no Instituto Butantan, em SP

A naja já está no Instituto Butantan, em SP

– Serpente não será abatida e investigação de possível tráfico feito por jovem picado por naja apreende mais cobras

‘Não se trata de colecionador, mas de um traficante’

Durante o período de investigação, a polícia colheu vídeos, fotos e documentos que comprovaram que Pedro Henrique vendia as serpentes.

“Não se trata de um colecionador, mas de um traficante. Ele trazia as cobras de outras viagens e há diálogos das redes sociais que mostram ele negociando o comércio desses animais. Uma dessas vendas, inclusive, foi feita no Gama, se tratava de um filhote de uma cobra Nigritus, que custou R$ 500”, detalhou o delegado Willian Andrade.

O inquérito foi concluído e, até o final da semana, será entregue à Justiça. Caso seja condenado, Krambeck pode pegar até 30 anos de prisão pelos respectivos delitos. 

– Naja que picou homem no DF pode ter sido usada para produzir drogas alucinógenas

Enquanto Krambeck era investigado, a naja que o picou foi transferida para o Instituto Butantan, em São Paulo. A serpente realizou a viagem hoje, junto com outras cinco cobras exóticas, também resgatadas.

– Polícia prende amigo de homem picado por naja por suspeita de ocultação de 16 serpentes

– ‘Operação Snake’ prende suspeito de tráfico de animais picado por cobra naja

As cobras chegaram pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos, em voo coordenado pelo Ibama. Elas serão registradas e passarão por exames clínicos, além de ficar em quarentena por 40 dias. Após esse período, será decidido se irão para o Museu Biológico ou participarão de atividades científicas e de educação ambiental.

Publicidade

Fotos: foto 1: Reprodução/Facebook/fotos de 2 a 9: Ivan Mattos/Zoológico de Brasília/Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Onça pintada que se tornou símbolo dos animais queimados no Pantanal é libertada