Arte

Yayoi Kusama: a história da artista mais popular do mundo vai virar HQ

por: Veronica Raner

Aos 91 anos, Yayoi Kusama honra com louvor o título que lhe foi dado anos atrás: o de artista mais popular do mundo. Mais uma prova disso é que a vida da japonesa nascida na área rural do país, em 1929, vai ser lançada em quadrinhos. O livro, “KUSAMA: The Graphic Novel”, é uma homenagem feita pela colega ítalo-tailandesa Elisa Macellari, que traz as reconhecidas bolinhas vermelhas de Kusama como destaque da obra.

Hotel oferece chá acompanhado de bolinhos inspirados em obras de artistas como Banksy e Yayoi Kusama

‘KUSAMA: The Graphic Novel’: a capa da HQ em homenagem a Yayoi Kusama.

A obra conta a história desde a infância de Kusama, passando pela mudança para Nova York, nos Estados Unidos, na década de 1960, até sua ascensão no mundo artístico. Atualmente, a japonesa é uma das artistas mulheres mais caras do mundo. A obra “Interminable Net #4”, de 1959, foi vendida em um leilão, no ano passado, por US$ 8 milhões (cerca de R$ 43 milhões).

Kusama, artista que vê bolas em tudo, ilustra Alice no País das Maravilhas

“KUSAMA: The Graphic Novel” está disponível em pré-venda. A data oficial de lançamento é em 15 de setembro e fãs da artista podem encomendar a obra pelo site da editora Laurence King. Ainda não há informações sobre uma versão em português da obra. No site da Amazon, é possível comprar a versão em inglês por R$ 113,00, mas o livro só estará disponível a partir do dia 20 de outubro. 

O livro é o terceiro lançamento da série Graphic Lives, da editora britânica. Os dois primeiros volumes da coleção retrataram a vida e a obra dos artistas americanos Jean-Michel Basquiat e de Jackson Pollock. Para 2021, o próximo homenageado na fila é o também japonês Katsushika Hokusai

Fomos conferir a exposição da artista que vê bolas em tudo

Publicidade

Fotos: Laurence King Publishing


Veronica Raner
Jornalista em formação desde os sete anos (quando criou um "programa de entrevistas" gravado pelo irmão em casa). Graduada pela UFRJ, em 2013, passou quatro anos em O Globo antes de sair para realizar o sonho de trabalhar com música no Reverb. Em constante desconstrução, se interessa especialmente por cultura, política e comportamento. Ama karaokês, filmes ruins, séries bagaceiras, videogame e jogos de tabuleiro. No Hypeness desde 2020.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Pingue Pongue: o programa de rádio de Matilde Campilho e Tomás Cunha Ferreira