Debate

Bela Gil tem foto nua com o filho removida do Instagram e expõe machismo de plataformas

por: Karol Gomes

A foto é uma imagem de mãe e filho abraçados, de frente para o espelho. Ambos sorrindo em direção ao celular. Uma captura de um momento divertido que foi removida pelo Instagram. 

Na selfie publicada na rede social, a apresentadora Bela Gil está com Nino, 4 anos. Ele, sem roupa, e ela, de calça jeans, aparentemente sem sutiã ou outra peça que cubra os seios. Bela recebeu uma chuva de comentários positivos e mais de 62 mil curtidas na imagem. 

– Bela Gil convoca seguidores nas redes sociais e muda votação sobre proibição de agrotóxico

Três dias depois do sumiço do post, Bela colocou o registro de novo na rede social. Na legenda, exaltou que era uma “expressão de ternura, dengo e afeto” entre os dois, deixando claro que, obviamente, não havia cunho sexual na publicação, o suposto motivo que levou a rede social a tomar a decisão. 

– Preta Gil lembra do racismo ao falar de festa junina: ‘Noivinhas eram loiras e brancas’

“O Instagram apagou, mas posto esta foto mais uma vez em nome do verdadeiro amor entre mãe e filho. É coisa de pele, sim! Haters, façam o grande favor de denunciar os pedófilos e abusadores sexuais e não a expressão de ternura, dengo e afeto entre eu e meu filho. Agradecida”, escreveu Bela ao republicar a foto.

Não é de hoje que as políticas e diretrizes para os usuários das redes sociais – em especial, do Instagram — geram dúvidas entre quem usa as plataformas para dividir momentos da vida. Enquanto muita gente denuncia machismo, racismo, revenge porn, homofobia, transfobia e muitos outros problemas, posts como o de Bela são deletados. 

– Bela Gil vai rodar o Brasil em busca da sabedoria de mulheres fortes e inspiradoras em nova série

Recentemente, a influenciadora digital Mariana Ferrer, vítima de violência de gênero, teve seu perfil inteiro removido no Instagram após denúncias que ela acredita terem partido do seu agressor e a defesa dele. No e-mail de notificação, o Facebook, responsável pela rede social, cita o processo que Ferrer tem contra o acusado. Após ter sido estuprada, o Instagram é o principal canal de denúncias para Mariana, que também apoia mulheres vítimas da mesma violência.

Publicidade

Foto: Reprodução / Instagram


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Entregador é vítima de racismo: ‘esse preto não vai entrar no condomínio, manda chamar um branco’