Ciência

Buraco negro com características inéditas surpreende astrônomos

por: Kauê Vieira

Um tipo diferente e nunca antes encontrado de buraco negro foi registrado recentemente por astrônomos como uma descoberta científica rara: trata-se de um buraco negro de massa intermediária, que não se encaixa nos dois grupos previamente identificados, com massas em torno de 65 a 120 vezes a massa do sol. A descoberta foi realizada por astrônomos ligados ao Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory, um observatório e experimento de física em larga-escala em Washington, nos EUA, em parceria com a Virgo, através de ondas gravitacionais detectadas da formação do buraco negro de massa intermediária.

A primeira imagem revelada de um buraco negro © Wikimedia Commons

Os dois tipos de buracos negros previamente registrados nos anais científicos eram os estelares, que surgem a partir do colapso de estrelas morrendo – com massas comumente entre 5 a 10 vezes a massa solar – e os supermassivos, formados por imensas nuvens de gás, normalmente no centro de galáxias, ou por aglomerações de milhões de estrelas que colapsaram no início do universo – e que possuem massas de milhões ou mesmo bilhões de vezes a massa do sol. A descoberta de última quarta-feira, intitulada GW190521, portanto, reside justamente entre as duas categorias.

A posição das estrelas que colidiram © NASA

Segundo o professor Dr. Karan Jani, da Univesidade de Vanderbilt, o GW190521 se formou pela colisão de dois buracos negros extremamente massivos há cerca de 6 bilhões de anos. A implosão teria emitido “energia equivalente a oito vezes a massa do sol”. Para o pesquisador Frank Ohme, a descoberta é nova, e sugere possibilidades inéditas. “O buraco negro de  85 vezes a massa do sol que é o GW190521 em sua origem o posiciona exatamente no hiato onde não deveria estar. Isso pode querer dizer duas coisas: nosso entendimento sobre a evolução das estrelas é ainda incompleto, ou algo completamente diferente aconteceu aqui”, afirmou. Não por acaso, a descoberta ganhou um apelido e tanto: o buraco negro impossível.

Publicidade

© fotos: NASA/Divulgação


Kauê Vieira
Nascido na periferia da zona sul de São Paulo, Kauê Vieira é jornalista desde que se conhece por gente. Apaixonado pela profissão, acumula 10 anos de carreira, com destaque para passagens pela área de cultura. Foi coordenador de comunicação do Projeto Afreaka, idealizou duas edições de um festival promovendo encontros entre Brasil e África contemporânea, além de ter participado da produção de um livro paradidático sobre o ensino de África nas Escolas. Acumula ainda duas passagens pelo Portal Terra. Por fim, ao lado de suas funções no Hypeness, ministra um curso sobre mídia e representatividade e outras coisinhas mais.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Cientistas brasileiros saem na frente em estudos sobre uso de drogas psicodélicas contra depressão