Matéria Especial Hypeness

Felicidade compartilhada: 3 histórias inspiradoras e emocionantes de floristas

por: Gabriela Rassy

Tem coisas na vida que, mais do que presentes, são abraços. Uma das formas de abraçar as pessoas, perto ou longe, é com flores. Com a primavera colorindo todos os cantos, as flores ganham destaque e mostram como são especiais. Aliás, mandar flores é dividir alegria e quando compartilhada, a felicidade só cresce.

Assim, o Hypeness se uniu à Lancôme para contar algumas histórias inspiradoras, de reviravoltas e superações que envolvem as pessoas dedicadas a fazerem as flores chegarem às casas e aos corações. Alerta conteúdo de extrema fofura pela frente!

Herancia del Tiempo

Com o sonho de viver numa cidade pequena, em um lar com “cara de campo” e após verem suas áreas de trabalho comprometidas com a pandemia, o casal Clara Rocca e Nicolás Gotting decidiram trazer um pouco desse sonho para suas vidas. Mudaram de seu pequeno apartamento no bairro Sumaré, para a casa da avó de Clara, onde tiveram a oportunidade de investir o dinheiro do aluguel em uma nova empreitada: uma padaria artesanal online e um ateliê de flores para celebrar os pequenos momentos da vida. Clara é brasileira e conheceu Nicolás em sua cidade natal, Buenos Aires, precisamente na Rua Florida. Toda a situação da quarentena fez com que o casal desejasse compartilhar presentes delicados e cheios de amor.

“O Herencia é sobre afeto. Queremos fazer parte das histórias de cuidados. Clientes que presenteiam amigos que estão passando por momentos difíceis ou familiares que acabaram de ganhar uma linda criança. Queremos fazer parte de uma declaração de amor, de uma despedida, dos momentos de celebração e de recolhimento. Queremos fazer parte do instante que uma pessoa resolveu dar uns passinhos pra trás e desacelerar”, conta Clara.

Os buquês são únicos, autorais e criados a partir da história de vida de cada cliente. Foi um momento de se reinventarem e também de espalharem cor pela cidade que hoje se estabilizou como novo plano de vida. “Acho que as pessoas compram flores para dar de presente por que elas representam renascimento, esperança. Compartilhar felicidade é compartilhar momentos”, explica Nicolás.

Floricultura Educant

“Tem homens que dão uma rosa, uma orquídea, um buquê. Eu dei uma floricultura para ela!”. Quando Cida, uma diretora financeira de grandes multinacionais, foi internada com apendicite, seu marido pensou em muitas formas de trazer alegria a ela. Em vez de uma flor, ele deu um novo negócio e uma nova possibilidade de vida. Eduardo também trabalhava como executivo no paisagismo de grandes empresas, mas a Floricultura Educant falou mais alto. Tudo aconteceu em 1998 e de lá para cá eles se dedicam a espalhar flores pela cidade.

Cida já era uma florista de alma já que seus avós seguiram pelo mesmo ofício. O que hoje é o bairro de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, era a fazenda de flores de seus avós. “Quando eu falo que sou florista, é um orgulho enorme. É de bater no peito. Como matemática, eu diria que é pura energia quântica”.

Durante a pandemia, o volume de flores para rezas, banhos, curas aumentou muito, mas uma especificamente não tinha muita saída: a rosa branca. Dizem que quem ganha uma, alcança uma graça. “Todo mundo que tava muito triste, muito desesperado, eu fazia questão de dar uma rosa branca fora do pacote”.

Flores da Felicidade

A história da Glorinha começa nos seus 9 anos de idade. Ela estava passando com a avó em frente a uma floricultura. Daí já nasceu o desejo de trabalhar com flores. Naquela época, os japoneses davam preferência para os compradores japoneses e ela ficava sem opções. Determinada, Glorinha acabou se casando com um japonês e ele passou a ajudá-la na compra e entrega de flores.

Certa vez, o pedido era de uma coroa. Quando chegou para entregar, ela viu que era para um enterro. Entregou o arranjo, devolveu o dinheiro para a viúva e tomou uma decisão: só venderia flores para a felicidade. “Nunca mais vendi um botão de rosa para quem já faleceu. Isso já faz 46 anos”, conta.

“Eu não me imagino em outra profissão. Só sei vender flores! Eu gosto tanto de ter a floricultura cheia de plantas bonitas que eu nem sinto a diferença lá de fora”. A tradição de Glorinha passou adiante e a filha Andreia segue os passos tanto da mãe quanto os ensinamentos do pai. “Floricultura era nossa escola e minha missão é passar para as pessoas o que ela passou para mim”, lembra enquanto recita o mantra do pai: “Sou perfeito, alegre e forte, tenho amor e muita sorte. Sou feliz e inteligente, vivo positivamente. Tenho paz, tenho sucesso. Tenho tudo que peço. Acredito firmemente no poder de minha mente porque tenho Deus no meu ‘superconsciente'”.

Compartilhar felicidade e alegria é um valor que está na essência da nova fragrância La Vie Est Belle Intensément (“A vida é bela”), da Lancôme. Inspirada na flor da felicidade, a Íris Gourmand, a marca acredita que a felicidade é maior quando multiplicada. E as floriculturas simbolizam muito essa ideia.

Pela primeira vez três dos maiores perfumistas franceses, Anne Flipo, Olivier Polge e Ropion Dominique, uniram seus talentos para desenvolver uma fragrância recheada de ingredientes naturais. O frasco foi pensado para traduzir uma mulher livre e feliz, criando uma impressão arredondada do sorriso no coração do quadrado de cristal. Uma novidade que, assim como as flores, chega para compartilhar nosso maior bem: a felicidade.

Publicidade

Fotos: Divulgação


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
18 especializações gratuitas oferecidas pelo Google com aulas em português