Inspiração

Juntos há 79 anos, casal mais velho do mundo esbanja amor e carinho

por: Vitor Paiva

A longevidade de um casamento não é necessariamente proporcional à felicidade dos envolvidos, mas no caso do mais duradouro casamento do mundo parece que sim: os 79 anos de união reconhecidos pelo Guinness Book, o Livro dos Recordes, dão a dimensão do amor entre Julio Cesar Mora Tapia, de 110 anos, e Waldramina Maclovia Quinteros, de 104 anos. Nascidos no Equador no início do século XX, os dois se conheceram por volta de 1934 pois Julio Cesar era vizinho da irmão de Waldramina. O espírito de poeta do jovem Julio encantou a moça de coração vasto, bom papo e beleza estonteante: em 1941 os dois estavam casados, como permanecem desde então.

Julio Cesar e Waldramina © AP

Para se casarem Julio teve de fugir da guarda dos pais e, passadas quase oito décadas, a aventura valeu a pena: os dois professores aposentados seguem lúcidos, saudáveis e apaixonados. O mais antigo casal do mundo desde então teve 5 filhos, 11 netos, 21 bisnetos e 9 tataranetos – mas a contagem não para: em uma simpática matemática, se as idades de ambos forem somadas chegaremos ao impressionante número de 214 anos e 358 dias de vida.

© Guinness Book

O casal vive em Quito, capital do Equador, onde celebraram no último dia 10 de março o aniversário de 110 anos de Julio, nascido nessa data em 1910. Já Waldramina irá celebrar seus 105 anos no próximo dia 16 de outubro – ela nasceu nesse dia em 1915. Os 80 anos de casados serão comemorados no próximo dia 7 de fevereiro, data na qual, em 1941, os mais antigos namorados do mundo celebraram sua união – na igualmente mais antiga igreja do país, a Igreja de Belém, também na capital.

© Guinness Book

Segundo o casal falou ao Guinness quando da homologação de seu bonito recorde, a fórmula secreta para a longevidade de um casamento é a soma entre amor, maturidade e respeito mútuo. A única tristeza atual do casal é, por conta da pandemia, não poder encontrar a família. “É verdade que esse é um momento difícil no qual estamos tomados pelo efeito da pandemia no mundo, e o fato de ainda não termos uma solução. No entanto, o primeiro passo para nós é seguir as regras com respeito e amor pela vida”, comentaram, plenos em sabedoria e muitos anos de vida – e amor – pela frente.

© AP

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Primeiro ‘Museu da Felicidade’ do mundo é inaugurado em Copenhague