Arte

‘Mafalda’ perde seu criador, Quino, aos 88 anos; relembre importância de cartunista

30 • 09 • 2020 às 16:34 Yuri Ferreira
Yuri Ferreira   Redator É jornalista paulistano e quase-cientista social. É formado pela Escola de Jornalismo da Énois e conclui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo. Já publicou em veículos como The Guardian, The Intercept, UOL, Vice, Carta e hoje atua como redator aqui no Hypeness desde o ano de 2019. Também atua como produtor cultural, estuda programação e tem três gatos.

O criador de Mafalda, o cartunista argentino Quino, morreu aos 88 anos. O icônico ilustrador e humorista marcou a vida argentina e do mundo todo com a criação da pequena menina com grandes ideias que se mostrou um símbolo da arte latino-americano no geral.

– Praça das Artes em SP recria “O Mundo Segundo Mafalda”

O mestre dos cartuns e criador de Mafalda faleceu aos 88 anos

O anúncio da morte de Joaquín Salvador Lavado, o Quino, que sofreu com um acidente vascular cerebral recentemente, veio através de um comunicado oficial de seu editor, Daniel Divinsky. Natural de Mendoza, ele teve a astúcia de criar uma personagem que captura o espírito da juventude revolucionária dos anos 60 com a sutileza necessária para driblar a censura da ditadura argentina.

– Mafalda ganha nova compilação totalmente dedicada ao feminismo

A sutileza de Quino superou com sucesso a bestialidade e estupidez dos militares e censores da ditadura argentina. Mafalda era considerada uma tira infantil, uma criança inocente, ao menos para as autoridades da época. Porém, se alguém se põe a ler e analisar essa criança inocente, chega à conclusão de que são reflexões próprias de um adulto”, afirma Mario Casartelli, cartunista do jornal argentino Última Hora.

O caráter de resistência de Mafalda revelado nas mais de duas mil tirinhas editadas de 1964 até 1973, em que se percebe uma infinidade de posições-sujeito e formações discursivas que, através do riso, faziam uma dura crítica à política, como também à humanidade em geral”, reflete a mestra em Letras Priscila Pedroso, na sua tese de dissertação “A função enunciativa do porta-voz nas histórias em quadrinhos de Mafalda”.

– As histórias de Mafalda ganham tradução para o guarani

Entre 1962 e 1976, a Argentina passou por três golpes militares. A resistência democrática aos conturbados movimentos políticos que causaram as morte de milhares de hermanos no período foi acompanhada das inteligentes sátiras de Quino que, mesmo após terminar os quadrinhos com Mafalda, explorou as críticas sociais junto de outros personagens e cartuns:

Confira a repercussão da morte do cartunista ao redor das redes sociais:

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Canais Especiais Hypeness