Inspiração

Maya Moore se casa com homem que a fez abandonar fama no basquete para livrá-lo de prisão injusta

por: Karol Gomes

Uma história de amor que nasceu da resistência: a estrela afastada da WNBA (liga americana de basquete feminino) se casou com Jonathan Irons, o homem negro que ela ajudou a libertar da prisão após condenação injusta de 22 anos.

O agora casal anunciou o novo passo no relacionamento em uma entrevista ao programa ‘Good Morning America’, onde também falaram sobre o ativismo que os uniu. Tudo começou quando, no ano passado, Maya decidiu pausar sua carreira no esporte para se dedicar a combater o racismo no sistema carcerário dos Estados Unidos. Ela alega que pessoas negras recebem acusações injustas e penas mais rígidas do que o necessário.

– Silvio Almeida no ‘Roda Viva’: ‘Tem gente chorando por estátua, mas não é capaz de chorar quando morre um negro’

Maya Morre se casou com homem que ajudou a libertar de prisão injusta

Morre, agora com 31 anos e uma das maiores atletas do esporte nos Estados Unidos, começou a trabalhar com o caso de Jonathan Irons, de 50 anos, considerado culpado por assalto à mão armada em 1998, quando tinha apenas 18. O americano estava com apenas 16 anos quando o crime infudado aconteceu e alegou, em juízo, não estar presente no local do delito, tendo sido confundido com outra pessoa.

– Filha de George Floyd diz que ‘papai mudou o mundo’ e mãe lamenta ausência de figura paterna

Maya teve o primeiro contato com o caso de Jonathan quando ainda estava no Ensino Médio, por meio de primos e do padrinho, Reggie Williams, que conheceram Irons em um intervenção religiosa dentro da prisão. 

Ao olhar com cuidado para a condenação de Jonathan, Williams percebeu contradições sérias no caso do rapaz e logo abriu os olhos da afilhada. Irons era um adolescente afro-americano pobre que havia sido julgado como um adulto e condenado por um júri branco. 

– Coronavírus: Magic Johnson empresta R$ 556 milhões para ajudar negócios geridos por negros e mulheres

– Will Smith e astro da NBA criam fundo de R$ 58 milhões para incluir negros na tecnologia

Por conta do empenho e incansável determinação de Maya Moore, o caso de Jonathan — quem ela conheceu pessoalmente em 2007 — foi novamente avaliado e o rapaz foi finalmente solto no último dia 1º de julho, cerca de 22 anos após o fim de seu julgamento injusto e com traços de racismo. Ele, então, foi recebido por apoiadores e pela própria família de Maya. Irons mostrou grande otimismo, gratidão e alívio.

Maya Morre revelou que os dois se casaram no começo do ano, antes da soltura de Jonathan. “Estamos animados para começar esse novo capítulo da nossa vida juntos”, comentou, falando sobre a liberdade do novo marido. Os dois vão seguir lutando, agora casados, contra o racismo da Justiça dos Estados Unidos. 

Publicidade

Foto: Reprodução / Instagram


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Celebridades adotam cães da rua e de abrigos e incentivam fãs a fazer o mesmo