Sustentabilidade

MST é o maior produtor de arroz orgânico da América Latina e pacote pode sair por R$ 5

por: Yuri Ferreira

Patrocinado por: Raízen

O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) é reconhecidamente o maior produtor de arroz orgânico da América Latina. O alimento de alta qualidade produzido pelos assentamentos familiares no Rio Grande do Sul é vendido através da internet pelo preço de R$ 5, sendo uma alternativa de consumo mais saudável durante e depois da inflação dos produtos da cesta básica.

Vimos nesta semana o valor de um pacote de arroz chegar a R$40, em um resultado de fatores macroeconômicos como dólar alto e a redução da produção de países exportadores. O alimento, essencial para a maioria das famílias, teve inflação arrebatadora que dificulta a vida financeira dos mais pobres, que dependem do auxílio emergencial para sobrevivência durante a incidência da pandemia do novo coronavírus.

– MST transforma campo de futebol em horta orgânica para mil famílias do Acampamento Marielle Vive

Agroindústria do MST é sucesso comercial e social

Arroz barato e livre de veneno 

O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra ocupa uma região no Rio Grande do Sul desde os anos 80 e garante uma produção sem agrotóxicos. Segundo o Instituto Rio Grandense do Arroz, o MST se tornou o maior exportador de arroz orgânico da América Latina, fazendo comércio com EUA, Grécia, Portugal, Espanha, Holanda, Argentina, Emirados Árabes, China, Haiti, Jamaica, Costa Rica, Itália e Peru.

Outro escoamento da produção familiar está relacionada ao PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar). O arroz orgânico é direcionado aos colégios públicos de São Paulo, Minas Gerais e Paraná para garantir refeições livres de agrotóxicos aos alunos. Segundo o próprio MST, somente a capital paulista irá comprar mais de dois milhões de quilos de arroz da reforma agrária para suas escolas.

– Fomos visitar uma fazenda de alimentos orgânicos no interior de SP

São mais de 300 famílias em 15 assentamentos espalhados nas cidades de Charqueadas, Capela de Santana, Eldorado do Sul, São Jerônimo, Canguçu, Manoel Viana, Tapes, Arambaré, Nova Santa Rita, Viamão, Capivari do Sul, Guaíba e Santa Margarida do Sul. São 16 mil toneladas de arroz produzidas para o mercado interno e externo.

As produções familiares e orgânicas garantem renda de 15% a mais para as famílias no comparativo com os trabalhadores do agronegócio. A produção sem agrotóxicos promove uma alimentação mais saudável e o sucesso do modelo mostra que é possível conciliar sustentabilidade com rentabilidade.

– MST lança em Brumadinho plano para plantar 100 milhões de árvores em resposta a crimes ambientais

Hoje, o quilo de arroz ‘Terra Livre’, produzido pelo MST, está 5,98. 5 kg sairiam por R$ 29,90, mais barato que muito arroz cheio de agrotóxicos que está sendo vendido nos supermercados do Brasil. Para comprar o arroz orgânico do MST este e outros produtos da Reforma Agrária, é só visitar o Armazém do Campo, loja oficial do MST na internet.

Publicidade

Fotos: Reprodução/MST/Alex Garcia


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.


X
Próxima notícia Hypeness:
A biodiversidade do planeta – e sua destruição – registradas nas colagens em papel de Clara Celeste Börsch