Arte

Regina King arrasa como 1ª diretora negra com filme no ‘Festival de Veneza’

por: Redação Hypeness

Regina King crava cada vez mais o seu nome na história do cinema. Na última segunda-feira, a vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante em 2019 tornou-se a primeira diretora negra a ter um filme selecionado e exibido no Festival Internacional de Cinema de Veneza, na Itália. “One Night in Miami” estreou no evento, realizado online este ano, e tem sido muito elogiado pela crítica especializada.

Diversidade vai ser obrigatória no Oscar a partir de 2024

Regina King durante as gravações de “One Night in Miami”.

Ainda sem nome em português, o longa é um drama de ficção inspirado em fatos reais que têm como personagens centrais o boxeador Muhammad Ali, o ativista Malcolm X, o ex-jogador de futebol americano Jim Brown e o cantor e ativista Sam Cooke. A história se passa em fevereiro de 1964 e é baseado em uma peça de teatro homônima. 

[O filme] é uma carta de amor à experiência do homem negro nos Estados Unidos. Eles são únicos, eles são divindades. Mas aqui, eles estão apenas compartilhando seus medos e preocupações ao serem vulneráveis e honestos”, contou King, em entrevista ao “Los Angeles Times”, em agosto deste ano. 

Cinema preto: 21 filmes para entender a relação da comunidade negra com sua cultura e com o racismo

Filme conta com as atuações de Kingsley Ben-Adir, Eli Goree, Aldis Hodge e Leslie Odom Jr.

O filme começou a ser filmado em janeiro de 2020, com Kingsley Ben-Adir, Eli Goree, Aldis Hodge e Leslie Odom Jr. no elenco. Por conta da pandemia, a produção cogitou adiar as gravações, mas os assassinatos de George Floyd e Breonna Taylor, que eclodiram protestos do Black Lives Matter, mostraram a urgência do filme. 

“Decidimos que tínhamos que fazer isso agora porque estamos em um espaço em que os brancos dizem: ‘Sim, eu ouviria se os negros gritassem, mas eu nunca ouviria de fato’”, desabafou a artista. “One Night In Miami” teve os direitos adquiridos pela Amazon e deve ser lançado pela companhia de Jeff Bezos no fim do ano. Há a expectativa e que o filme seja um forte concorrente ao Oscar do ano que vem. 

Coisa de preto é ganhar o Oscar. O maravilhoso e histórico discurso de Spike Lee

Regina King quando venceu o Oscar de melhor atriz coadjuvante por “Se a Rua Beale Falasse”, em 2019.

Melissa Silverstein, fundadora do movimento Women and Hollywood, chamou de “inovadora” a escolha por King. “Em um festival onde diretoras mulheres têm lutado para serem selecionadas, mesmo após o festival se comprometer a promover a paridade de gêneros, King é o centro das atenções não só como uma diretora, mas como uma diretora negra, grupo que é extremamente sub-representado nessa indústria”, disse, ao “Guardian”.

A carreira de Regina atrás das câmeras vem sendo solidificada na última década. No começo dos anos 2010, ela dirigiu videoclipes e episódios de séries conhecidas, como “Scandal”, “This Is Us”, “The Good Doctor” e “Insecure”.

Publicidade

Foto 1 e 2: Patti Perret/Amazon Studios / Foto 3: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Will Smith posa com elenco de ‘O Maluco no Pedaço’ e homenageia tio Phil em vídeo emocionante