Debate

Bolsonaro nega anúncio de vacina do Ministério da Saúde: ‘Não compraremos vacina da China’

por: Redação Hypeness

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se irritou e desmentiu o anúncio feito por seu ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de que o governo federal vai comprar doses da CoronaVac, vacina contra Covid-19 do Instituto Butantan produzida em parceria com a empresa chinesa Sinovac. 

“Não compraremos vacina da China”, disse Bolsonaro em suas redes sociais. O acordo do Butatan com a Sinovac, o laboratório chinês responsável pela vacina, prevê 46 milhões de doses. Dessas, segundo o instituto, 6 milhões virão prontas da China e 40 milhões serão finalizadas no Brasil. Não está claro a quais doses Bolsonaro se referiu em seu comunicado online. 

– USP desenvolve rodo com radiação que mata vírus no chão de hospitais

Hoje, ministros do núcleo duro do governo irão se reunir para decidir o que fazer. Bolsonaro reforçou que seu governo não mantém diálogo com Doria sobre Covid-19. A mensagem foi divulgada inicialmente pelo site Poder360. 

– Coronavírus: mulheres e universitárias, elas precisaram de 48h para sequenciar o Covid-19

Auxiliares do presidente disseram ao blog que Bolsonaro se irritou porque, na visão dele, o anúncio de terça passou a imagem de que Pazuello estaria apostando e comprando antecipadamente a vacina de São Paulo – o que o governo não vai fazer. A avaliação de fontes da Esplanada é a de que Pazuello não tem “malícia política”, e deixou Doria – adversário de Bolsonaro – “capitalizar” o anúncio. 

Ainda segundo fontes da Esplanada, Bolsonaro desautorizou Pazuello e o governo só não vai recuar da compra, desde que duas condições sejam atendidas: a vacina seja aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); e a vacinação não seja obrigatória.

– O cientista negro da Baixada, com doutorado na Califórnia, que ganhou bolsa para estudar o coronavírus

Sobre essa última exigência, que tem sido reforçada pelo governo de Bolsonaro, o  Supremo Tribunal Federal (STF), poderá interferir no assunto, já que a pandemia do coronavírus trata-se de uma questão de saúde pública coletiva. 

Publicidade

Foto: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Passada eleição, SP vai regredir de fase na quarentena para brecar pandemia