Sustentabilidade

Calor dos últimos dias tem a ver com aquecimento global e veio para ficar, diz especialista

por: Yuri Ferreira

Patrocinado por:
Notice: Undefined index: facebook_titulo in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/single.php on line 90

O Brasil está enfrentando uma onda de calor pouco usual. Enquanto alguns recusam a existência do aquecimento global, a maior parte das cidades brasileiras enfrente temperaturas acima dos 35º C. As temperaturas recordes (44º C em Cuiabá, por exemplo, ou os 43,6 ºC em Lins, interior de São Paulo) mostram que o nosso país está sofrendo diretamente com a mudança climática.

As queimadas no Pantanal e na Amazônia, causadas pelo homem, tiveram essas proporções enormes por conta do ar seco e do calor causados pelo aquecimento global. Segundo especialistas, os processos que levaram a essa onda de calor que tomou o país farão com que esse fenômeno seja ainda mais comum a partir dos próximos anos.

– Aquecimento global causará mais mortes que doenças infeciosas até final do século, aponta estudo

Queimadas no Pantanal são resultado de ação humana com mudança climática; 17% do bioma foi consumido pelo fogo

O consenso entre climatologistas e meteoreologistas é que a onda de calor é um evento singular que não tem precedentes históricos: “Estamos tendo bem menos dias de frio do que há 15 anos, 20 anos atrás, estamos tendo invernos suprimidos e ondas de calor, com vários dias seguidos de calor, cada vez mais frequentes”, explica Thomaz Garcia, meteorologista do Centro de Emergências Climáticas (CGE), à BBC.

“Essas ondas de calor já atingiam principalmente o hemisfério norte, como na Califórnia, Europa, Sibéria. Elas eram menos comuns no hemisfério sul. Mas na Austrália, nesse ano, tivemos uma onda de calor muito forte e agora ela chegou ao Brasil central, com temperaturas acima de 36º C em mais de 50% do território brasileiro”, explicou o especialista Paulo Artaxo, professor da USP, integrante do IPCC, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da ONU, ao podcast ‘O Assunto’, da jornalista Renata Loprete.

Em Minas Gerais, o INMET enviou um alerta de ‘risco de morte’ por hipertemia para os cidadãos devido ao excesso de calor no estado. Os meteorologistas apontam que a onda da calor não vai voltar no verão; foi um fenômeno da primavera. Entretanto, elas vão se tornar cada vez mais comuns devido ao aquecimento global.

“Não há dúvida, a ciência mostra claramente, essas ondas estão ficando mais intensas e mais frequentes. O Brasil estava de fora dessa rota e isso está tendo um impacto extraordinário sobre as pessoas. O aquecimento global está fazendo que o sistema atmosférico tenha mais energia do que há 40 atrás. Essa energia precisa ser dissipada de alguma maneira; uma das maneiras que o sistema tem para dissipar essa energia excedente é através de ondas de calor, furacões mais frequentes, é através desses eventos mais extremos”, explicou Artaxo.

– Pantanal pegando fogo pode provocar chuva escura em SP; Sul viveu mesmo fenômeno

Ouça o podcast na íntegra:

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.


X
Próxima notícia Hypeness:
Onça pintada que se tornou símbolo dos animais queimados no Pantanal é libertada