Arte

Coletivo Vozes Agudas lança prêmio para fortalecer mulheres nas artes plásticas

por: Gabriela Rassy

Em meio à pandemia do coronavírus, que prejudicou fortemente a indústria e atividades culturais, o o coletivo Vozes Agudas amplia sua atuação e apresenta o Prêmio Vozes Agudas Para Mulheres Artistas. A premiação surge para fortalecer e fomentar a continuidade de pesquisas artísticas em um momento em que a sobrecarga de trabalho doméstico e cuidado com membros da família recaiu principalmente sobre a população feminina.

Voltado exclusivamente para mulheres artistas visuais brasileiras ou residentes no país, o edital tem inscrições gratuitas e abertas até 14 de outubro. A ficha de inscrição está disponível em formulário online. Nela, as candidatas devem incluir um portfólio em formato PDF, com no máximo 10 páginas e 100 MB, onde conste foto de divulgação da artista, uma mini-biografia profissional e links com acesso liberado para vídeos, áudios e outras linguagens, quando for o caso.

A primeira edição beneficia três vencedoras com um prêmio no valor de R$1.000,00 e um conjunto de atividades para impulsionar a divulgação de seus trabalhos, que vai da elaboração de um texto crítico sobre seu trabalho e publicação de obras nas redes sociais do Ateliê397 e do Vozes Agudas, além da participação no podcast do coletivo.

As artistas selecionadas também farão parte de uma exposição coletiva na Galeria Jaqueline Martins, com previsão para o ano que vem em data ainda a definir. A divulgação das vencedoras está marcada para o dia 6 de novembro.

Os critérios de seleção levam em consideração os diálogos estabelecidos entre a produção da artista e questões contemporâneas, bem como marcadores sociais não-privilegiados. O edital pretende promover artistas visuais cuja obra ainda não seja amplamente conhecida, bem como mulheres pretas, transexuais e que atuam fora do eixo Rio-São Paulo.

O objetivo é reconhecer de uma forma mais ampla, múltipla e abrangente a atuação de mulheres artistas em todo o território nacional, dedicando a devida atenção às suas produções, valorizando seus trabalhos e incentivando suas pesquisas.

Vozes Agudas

Formado por Anelise Valls, Carô Cones, Leticia Ranzani, Lícida Vidal, Paula Marujo, Talita Trizoli, Tania Rivitti e Thais Rivitti – pesquisadoras, curadoras, produtoras, artistas, educadoras e gestoras que trabalham em São Paulo -, o Vozes Agudas é um coletivo feminista de estudos e intervenções, que discute o lugar da mulher no circuito das artes.

Há dois anos o grupo fomenta projetos de resistência para questionar e enfrentar o apagamento da atuação feminina nas artes visuais. Entre as iniciativas está a construção de plataformas que gerem visibilidade para agentes que ainda se encontram à margem, como a produção de podcasts, exposições, cursos e um prêmio para mulheres artistas.

Ateliê397

Um dos espaços de arte mais longevos e relevantes de São Paulo, o Ateliê397 oferece uma programação variada e aberta ao público. Tendo como eixos de atuação a formação, a experimentação e a inclusão, o espaço realiza cursos, debates, exposições e residências. Focado na diversidade e no pluralismo, propõe diálogos com artistas, curadores e gestores culturais.

Atualmente em sua terceira sede, uma casa no bairro da Pompéia, o espaço vem reformulando sua presença na cena contemporânea e planeja, em 2021, expandir suas atividades retomando fortemente a prática de exposições coletivas que abram espaço para novas produções, um programa de site specific entre outras atividades que encontram-se suspensas devido à pandemia.

Publicidade

Fotos: Getty Images


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Artista de rua francês espalha imensas borboletas pelas paredes de cidades do mundo todo