Criatividade

Como seu gato reagiria se de repente você morresse em seu sofá?

por: Vitor Paiva

Quem convive com gatos em casa sabe que, ao mesmo tempo que são animais amorosos e carinhosos, os gatos são também seres autônomos, privados e singulares – o que eventualmente pode se assemelhar com indiferença e até frieza da parte dos felinos. Foi essa incrível variação de temperamento dos bichanos que a usuária do twitter Ajlobster decidiu colocar em prova – e mostrar na prática, através de um simpático e hilário experimento: ilustrar como Hazel, seu gato, se comportaria caso ela morresse e se transformasse em um esqueleto no sofá. Para tal, ela recorreu a uma almofada em formato de uma pessoa – ou melhor, de um esqueleto, devidamente estampada como tal.

O resultado foi exatamente o esperado: Hazel não só não se assustou com o “esqueleto”, como aproveitou o conforto almofadado e o transformou em seu mais novo amigo. Nos dias que seguiram o gato se aproximou do esqueleto, deitou em seus pés e até mesmo em seu colo – restando à sua amiga humana a impressão de que não poderia contar com Hazel em uma emergência. É claro que o experimento não tem nenhum real fundamento enquanto teste, e se trata mais de uma peça cômica do que qualquer outra coisa – revelando a inteligência do gato, que sabe se tratar de uma confortável almofada, feita justamente para nos acomodar.

E, diante do sucesso do post original, outros usuários decidiram testar também seus gatos – e o resultado foi unânime. Das duas, uma: por mais que possa parecer que os felinos são pequenos seres frios e calculistas, em verdade eles são simplesmente mais inteligentes do que pensamos – e, aparentemente, do que nós, humanos.

“Ei, meu gato também fez isso”

 

“Mesma coisa”

Publicidade

© fotos: Ajlobster 


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Máscaras usam estampas NSFW para identificar proximidade excessiva