Estilo

Crocs voltou com tudo e agora se aventura pela alta costura; acredite se quiser

por: Karol Gomes

Depois de quase ir à falência em 2009, Crocs (isso mesmo, aquela marca de sapatos feios) voltou com uma proposta bem firme e determinada para um produto que ficou na lista das “50 piores invenções do mundo”, da renomada revista Time, em 2010. 

“Você nos ama ou nos odeia — e tudo bem, porque isso significa que você está prestando atenção em nós”, é o que diz a presidente da empresa, Michelle Poole, em suas declarações a imprensa em tempos de retorno. 

– Raposa sapeca é descoberta com coleção de mais de 100 Crocs ‘roubados’

Assim como no seu primeiro lançamento, em 2002, o conforto oferecido pela Crocs é o ponto principal que traz os sapatos de borracha, para os holofotes da moda mais uma vez. De acordo com a The Lyst Index, as buscas pelos calçados desses modelos crescem 32% a cada mês em 2020.

– Crocs vai além e lança plataforma inspirada no balde de frango frito do KFC

Para ir além desse apelo, recentemente a marca investiu em uma colaboração com o astro Justin Bieber, que desenhou um modelo exclusivo para a Crocs. Eles aproveitaram para envolver a Drew, marca de Bieber na parceria. O produto criado pelo cantor, lançado no dia 13 de outubro, já está esgotado. 

Entre outras colaborações há nomes como Balenciaga e Christopher Kane. Ambas as casas de moda destacaram seu apreço pelo sapato por seu status de durabilidade. Assim, seguiu-se um efeito tendência dominó: a Gucci lançou um calçado de borracha no mesmo estilo e a Yeezy, de Kanye West, colocou às vendas os seus pares futurísticos com o material.

– Crocs ataca novamente! Desta vez com chinelo de furinhos e customizável

No quesito “dinheiro no bolso”, os resultados já apareceram: após a recente colaboração com Bieber: as ações da empresa norte-americana aumentaram em 11% e, segundo o Business Insider, “foram impulsionadas pela pandemia”.

Publicidade

Fotos: Divulgação / Crocs


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.


X
Próxima notícia Hypeness:
A ‘roupa do futuro’ que se dissolve completamente após o uso