Sustentabilidade

Energia renovável: o futuro que já chegou

por: Redação Hypeness

Cada dia se torna mais evidente que em todos os setores o futuro terá de ser sustentável para ser melhor – ou mesmo possível. Dos alimentos que consumimos aos smartphones, da construção civil à indústria de transporte, das pequenas às grandes empresas – é urgente que as abordagens de negócio se adaptem às necessidades do planeta e aos novos valores da sociedade, pelos quais a sustentabilidade ambiental e social são elementos cada vez mais presentes na tomada de decisão.
E com o consumo de energia não é diferente: a energia está presente em todos os setores, movendo o dia a dia de todos nós e impulsionando os produtos e os serviços que diariamente consumimos. 

 Existe hoje uma série de energias efetivamente mais sustentáveis, por serem produzidas considerando as melhores práticas ambientais e sociais e também por apresentarem uma menor intensidade de emissão de gases de efeito estufa em seus usos e consumos.
Essas energias mais sustentáveis podem ser utilizadas sem que precisemos abrir mão de praticamente coisa nenhuma a não ser da própria poluição. Reduzindo a pegada de carbono e a emissão de gases do efeito estufa em geral, utilizando materiais reaproveitados, reutilizando resíduos agrícolas e industriais ou consumindo menos água, são inúmeros os caminhos que a produção sustentável de energia hoje oferece. 

Assim, elencamos aqui algumas dessas alternativas de fontes de energia que já são uma realidade potente e viável no Brasil e são alternativas para enfrentar os desafios do presente e do futuro. Daremos destaque para aquelas que consideram o conceito de “economia circular”, em que resíduos são aproveitados em um novo processo de produção:

Bioenergia e Biomassa

A biomassa da cana-de-açúcar – constituída por resíduos como bagaço e palha – pode ser transformada em energia elétrica distribuída pelo país ou em etanol de segunda geração (E2G). Ou seja, aproveitam-se todos os subprodutos da cadeia de produção canavieira.

Biogás: resíduos da cana-de-açúcar


O processo de reaproveitamento pode ser feito a partir da utilização de subprodutos da produção do etanol, como a torta de filtro e a vinhaça (resíduos que são utilizados para a fertilização do canavial). A cada litro de etanol produzido, 12 litros de vinhaça são deixados como resíduo. Tais materiais podem ser convertidos em metano e CO2, e passam por um processo de purificação para, nos motogeradores, serem transformados em energia elétrica. Ao fim da purificação, o biogás apresenta o mesmo composto que o gás natural (96,5% de metano) e passa a poder ser utilizado em automóveis, tratores e caminhões – além de ampliar os caminhos para tornar as matrizes energéticas mais limpas e renováveis. 

Etanol

 Biocombustível de origem vegetal, não fóssil, o etanol é uma fonte mais limpa e menos poluente – trata-se do combustível com menor pegada de carbono do mundo. Além de agredir menos o meio ambiente (principalmente se aliado a boas práticas no plantio e na produção da cana, como o reaproveitamento de resíduos), o etanol é mais barato e de produção muito mais simples. Sua grande taxa de compressão oferece maior potência em seu uso, e sua base na cana-de-açúcar faz dele um combustível renovável. O etanol é também especialmente dinâmico, podendo ser usado em cosméticos, em bebidas alcoólicas (especialmente pela pureza de seu refino), em farmácias, como matéria-prima de xaropes e remédios, e como produto de exportação.

Energia Solar

Poucas alternativas oferecem tantas vantagens em sua aplicação, especialmente se comparadas às fontes fósseis, quanto a energia solar. Além de ter uma baixa pegada de carbono e ser renovável, limpa e sustentável, a energia solar é também silenciosa, funcionando pelo incrível custo-benefício de ser uma fonte gratuita (fora o custo do equipamento e sua manutenção), de fácil manutenção e acesso fácil a todos. Como se não bastasse, os  módulos fotovoltaicos são resistentes e possuem uma vida útil superior a 25 anos. Tudo isso torna a energia solar uma ótima alternativa para a redução dos custos com eletricidade em residências, estabelecimentos e indústrias.

Essas são algumas das opções que nos permitem, hoje, planejar um futuro melhor e completamente sustentável no que diz respeito à produção e ao consumo de energia. E nenhuma empresa representa mais e melhor a afirmação das energias sustentáveis do que a Raízen, uma das maiores empresas de energia do mundo e referência na produção de biocombustível e de energias renováveis de modo geral – como a maior produtora de etanol do país, e a única empresa a produzir etanol de segunda geração em escala comercial (uma tecnologia que possibilita a produção de 50% mais etanol com a mesma área plantada). A empresa também é uma grande produtora de biogás, biomassa, palha de cana e pellets. E mais: a primeira planta de energia solar da Raízen foi inaugurada em Sorocaba no ano passado, com capacidade geracional de 1.3 MWp.

 Ao utilizar energia renovável em larga escala, por meio do etanol e da bioeletricidade, a Raízen estabelece um alto patamar de sustentabilidade para tal mercado no Brasil. Mas não somente: a maneira de utilizar a cana, desde a plantação até o reaproveitamento dos resíduos que tanto caracteriza a energia produzida pela Raízen, é também determinante para o estabelecimento desse patamar que aponta para um futuro sustentável.

A vocação sustentável da Raízen vem desde o seu nascimento, em 2011, e, de lá para cá, tem sido reforçada por meio, por exemplo, dos compromissos públicos assumidos a serem cumpridos até 2030. As metas da Raízen contribuirão com 14 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU para a promoção de mudanças positivas no futuro. Elas incluem compromissos com mudanças climáticas, transição energética, gestão hídrica, melhor uso da terra, utilização sustentável da cana-de-açúcar, questões ligadas aos direitos humanos, ética e compliance. Além disso, incluem também a redução da pegada de carbono do etanol e do açúcar em 10% e da captação de água para o ciclo da produção também em 10%. Nos últimos oito anos, a empresa já reduziu seu consumo de água em 50%, um valor de 4,5 bilhões de litros a menos captados.

E tais compromissos com os ODSs se somam ao entendimento que a Raízen tem como norte em suas ações da influência que a empresa possui sobre as comunidades e áreas em que atua. Nesse aspecto, quatro determinações são imperativas: doação, patrocínio, investimento social e engajamento local – e um exemplo precioso para o contexto atual é a criação de uma rede colaborativa para combater os impactos da pandemia do novo coronavírus. Junto da iniciativa privada, a iniciativa visa fornecer produtos, serviços e auxílios para a saúde e a operação de áreas essenciais no Brasil.

Assim, torna-se claro que o futuro começa agora, e torná-lo sustentável é necessidade de primeira urgência hoje. Esse é o compromisso que a sociedade como um todo precisa assumir – desde a produção até nossa escolha pessoal, sobre quais produtos de quais empresas iremos consumir. Nesse sentido, a Raízen é uma empresa de energia que prioriza a sustentabilidade em suas mais diversas frentes, e que move todas as suas forças para ajudar a pavimentar o caminho para esse futuro – mais verde, mais limpo, mais vivo: melhor.

Publicidade

© fotos: divulgação/Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Técnica japonesa de poda permite obter madeira sem derrubar árvores