Sustentabilidade

Fotógrafo aborda globalização, desigualdade e desperdício em imagens impactantes

por: Redação Hypeness

Muito interessado pela maneira como a sociedade consome produtos e gera resíduos, o fotógrafo estadunidense Gregg Segal documenta, de maneira artística, séries imagéticas que abordam questões como globalização, desigualdade e desperdício. Em projetos como “7 dias de lixo” — em que uma semana de objetos e alimentos descartados aparecem ao redor de quem os consumiu — e “Pão de Cada Dia” — no qual fotografias da alimentação cotidiana de famílias de diferentes nacionalidades são apresentadas —, o artista provoca reflexões sobre o que realmente é necessário para sobreviver e o que é apenas luxo.

Em entrevista ao podcast “Top Artist” do site “My Modern Met“, Gregg compartilhou um pouco de suas experiências e aprendizados com cada projeto fotográfico autoral. “Fotografia sempre foi o meu meio de enxergar o mundo”, diz o artista. “Me forneceu uma oportunidade de demonstrar minhas impressões.”

– O que crianças brasileiras de diferentes realidades comem em uma semana

Personalização de detritos caminhando por um mercado em Hong Kong, na China, em fotografia de Gregg Segal

Para Gregg, os projetos em que documenta o lixo são como “arqueologia instantânea”. “As coisas que nós jogamos fora contam uma história não apenas sobre o que nós consumimos, mas também sobre quais são os nossos valores”, explica. “Essas mesmas coisas também contam a história não apenas sobre a nossa saúde, mas também ‘falam’ sobre a saúde do planeta.”

Ao falar sobre globalização, Gregg cita o Brasil ao exemplificar as consequências alimentares do fenômeno que notou durante as próprias pesquisas. “O Brasil é um país em que, há cerca de 34 anos, crianças não tinham o suficiente para comer, e, agora, 57% da população está acima do peso ou é obesa”, diz. “Uma grande parte disso se deve à globalização e aos alimentos ultraprocessados que saturaram os mercados.”

– Série fotográfica mostra quanto lixo produzimos em uma semana

Por outro lado, o fotógrafo também chama atenção para a diferença de realidades socioeconômicas em que, em algumas localidades, é barato consumir fast food, mas é caro comprar alimentos naturais e frescos, enquanto em outras regiões ocorre o exato oposto.

“Aqui, nos Estados Unidos, as pessoas mais pobres costumam ser as maiores consumidoras de fast food, porque é barato e conveniente. Mas em Mumbai, na Índia, uma pizza média da Domino’s custa cerca de 30 dólares, o que está muito além dos ganhos de grande parte da população”, diz Gregg.

Para acompanhar o trabalho de Gregg Segal, é possível seguir o artista no Instagram (@greggsegal).

Veja mais algumas obras do projeto ‘Daily Bread’, de Gregg Segal, logo abaixo:

Gregg Segal também criou o projeto ‘Undaily Bread’, sobre a falta de alimentos no cotidiano de algumas famílias:

Publicidade

Fotos: Reprodução / Gregg Segal


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Técnica japonesa de poda permite obter madeira sem derrubar árvores