Ciência

Há um segredo para criar laços afetivos com gatos e pesquisadores descobriram qual é

por: Vitor Paiva

Os gatos são paradoxais: se, por um lado, de fato são animais independentes e autônomos, por outro criam sim laços profundos com seus humanos preferidos. Um estudo realizado por psicólogos da Universidade de Sussex e Portsmouth, no Reino Unido, aprimorou os caminhos de construção de afeto entre os felinos estimados e as pessoas – e desenvolveu uma técnica para aproximar humanos e gatos, capaz de nos tornar mais atraentes para os bichanos, provocando com mais frequência o chamado “sorriso dos gatos”: aquele fechar de olhos lento e prolongado que indicam alegria e prazer nos animais.

Intitulada “The role of cat eye narrowing movements in cat-human communication” (“O papel do olho do gato estreitando movimentos na comunicação entre gatos e humanos”, em tradução livre), a pesquisa foi publicada no jornal científico Scientific Reports, e conduzida a partir de dois experimentos. O primeiro confirma que os gatos tendem a piscar lentamente com mais frequência quando seus humanos piscam lentamente também para eles – em comparação a quando não há interação. O segundo mostra que os gatos tendem a se aproximar da mão oferecida de um humano quando este humano pisca lentamente para o gato antes do gesto, se comparada à mesma situação com um humano de expressão neutra.

“Como alguém que estudou comportamento animal e que possui um gato, é incrível mostrar que gatos e humanos podem se comunicar dessa maneira. É algo que muitos donos de gato suspeitaram, e é excitante encontrar evidências pra isso”, disse a professora Karen McComb, da Escola de Psicologia da Universidade de Sussex e supervisora da pesquisa. “O estudo é o primeiro a investigar o papel da piscada lenta na comunicação entre gatos e humanos, e é algo que se pode experimentar em casa com seu próprio gato. É uma maneira incrível de aprofundar os laços com os gatos, tentar se comunicar com os olhos como em um sorriso relaxado, seguido pelo fechamentos dos olhos por alguns segundos. Vocês vão reparar que eles respondem da mesma maneira, como em um diálogo”.

Os resultados podem estreitar os laços entre humanos e gatos em casa, mas não somente: podem também transformar técnicas e métodos para práticas veterinárias e em abrigos, para aprimorar os cuidados com os animais.

 

 

 

 

Publicidade

© fotos: Getty Images


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
NASA detecta 150 objetos voadores não identificados orbitando a Terra