Arte

Julie Andrews: 7 coisas que você não sabia sobre a atriz (e por onde ela anda aos 85 anos)

por: Veronica Raner

Mary Poppins, Maria von Trapp, Victoria Grant ou Rainha Clarisse Renaldi. Julie Andrews já interpretou dezenas de papéis marcantes no cinema. A atriz britânica é dona de um Oscar de melhor atriz — conquistado em 1964 por “Mary Poppins” — e de uma longa e premiada carreira nos palcos e no cinema. No último dia 1º de outubro, ela completou 85 anos e, para homenageá-la, decidimos montar uma lista de oito coisas que você pode não saber sobre a dama Julie Andrews — provavelmente uma das pessoas vivas mais “classuda” do mundo.

11 filmes de época que retratam mulheres fortes

Julie Andrews

Julie Andrews sorri em foto tirada em 2013.

Ela foi ignorada para fazer ‘My Fair Lady’ no cinema — mas ainda bem por isso

Julie foi a primeira pessoa a incorporar Eliza Doolittle na estreia de “Minha Bela Dama” (“My Fair Lady”, no original) na Broadway. Quando o filme começou a ser produzido, a atriz britânica foi ignorada porque os produtores queriam alguém “mais famosa”. O papel principal acabou ficando para Audrey Hepburn (1929-1993), que já tinha um bom currículo de filmes como “Bonequinha de Luxo”, “A Princesa e o Plebeu” e “Sabrina”. 

Ainda bem que isso aconteceu porque permitiu que Julie estivesse disponível para atuar em “Mary Poppins”, filme lançado no mesmo ano e que a catapultou para a fama, além de lhe ter dado o único Oscar de sua carreira. 

Audrey Hepburn e Julie Andrews posam abraçadas nos bastidores do Oscar, em 1964.

Existe uma flor com o nome de Julie Andrews

Nada mais elegante para uma das pessoas mais elegantes do mundo do que ter uma rosa com seu nome. A “rosa Julie Andrews” tem uma cor quase salmão e recebeu este nome por conta da personagem da atriz em “My Fair Lady”, na Broadway: Eliza Doolittle era uma florista.

É difícil de acreditar, mas alguns dos cenários mais épicos do cinema eram na verdade miniaturas

A icônica cena na montanha de ‘A Noviça Rebelde’ fez Julie xingar muito 

Julie Andrews é a educação em pessoa, mas não se engane que ela não é um ser humano como outro qualquer. Um exemplo disso é a história dos bastidores da famosa cena em que Maria Von Trapp canta nos alpes suíços em “A Noviça Rebelde”. As imagens foram filmadas de um helicóptero que voava muito baixo e produzia ventos que mal deixavam Julie ficar em pé — o que a fez falar alguns palavrões, como qualquer pessoa faria, não é mesmo?

Julie não consegue mais cantar como antes

Julie Andrews aprendeu a cantar ainda criança, quando fazia aulas de canto. Talento nunca lhe faltou, mas, em 1997, uma cirurgia nas cordas vocais prejudicou sua voz para sempre. A operação era como uma cirurgia de rotina de rápida recuperação que não deveria ter causado danos tão severos. Porém, as cordas vocais ficaram prejudicadas para sempre e ela nunca mais retornou aos palcos para cantar.  

Ela já venceu o Emmy, o Globo de Ouro e o Oscar — e esnobou o Tony

A indústria do entretenimento chama de “EGOT” o artista que já venceu ao menos uma vez as cinco maiores premiações americanas: Emmy, Globo de Ouro, Oscar e Tony. Julia já venceu os três primeiros — o Emmy e os Globos mais de uma vez —, mas nunca ganhou um Tony apesar de sua carreira nos palcos. Em 1995, quando foi indicada como melhor atriz por “Victor/Victoria”, ela recusou a indicação por ter sido a única dada ao espetáculo.

Eu sondei a minha consciência e o meu coração e percebi que não posso aceitar essa indicação. Eu prefiro ficar ao lado do elenco e da equipe que foram esquecidos”, disse à época. O roteiro e a direção do espetáculo eram de seu marido, o cineasta Blake Edwards, aliás…

Alice Guy Blaché, a pioneira do cinema que a história esqueceu

Blake Edwards e Julie Andrews sorriem, abraçados, em foto tirada em 1986.

Julie Andrews e Blake Edwards formaram um dos casais mais longevos de Hollywood

Andrews foi casada por oito anos com o figurinista Tony Walton. Em 1969, se uniu ao cineasta, roteirista e produtor Blake Edwards (1922-2010), um dos criadores de “A Pantera Cor de Rosa”, com quem ficou até a morte dele, aos 88 anos, em 2010. Foram 41 anos unidos na vida pessoal e também na profissional. Os dois trabalharam juntos por diversas vezes, o que rendeu boas histórias para contar. 

Julie sempre comentou sobre as partes boas e ruins da vida a dois no set. Certa vez, em uma entrevista, se divertiu ao recordar o dia em que ela teve que gravar uma cena romântica com outro ator sendo dirigida pelo marido. Quando Blake gritou “corta”, foi até ela e, bem-humorado, pediu para gravar mais uma vez: “Meu amor, ficou ótimo. Mas eu sei que você pode fazer melhor do que isso.

Julie Andrews de braço dado com Blake Edwards, em 2004.

Ela tem um podcast sobre contos infantis

Desde abril, Julia Andrews apresenta o “Julie’s Library”, um podcast sobre contos infantis ao lado de sua filha mais velha — fruto de seu primeiro casamento, com Tony Walton — a autora e educadora Emma Walton Hamilton. Juntas, as duas já escreveram vários livros para crianças. A atriz tem ainda mais duas filhas adotivas com Blake Edwards, Joanna e Amy Edwards.

Emma Walton Hamilton ao lado da mãe, Julie Andrews, falam sobre o livro de memórias da atriz em um programa de televisão, em outubro de 2019.

Publicidade

Fotos: Getty Images


Veronica Raner
Jornalista em formação desde os sete anos (quando criou um "programa de entrevistas" gravado pelo irmão em casa). Graduada pela UFRJ, em 2013, passou quatro anos em O Globo antes de sair para realizar o sonho de trabalhar com música no Reverb. Em constante desconstrução, se interessa especialmente por cultura, política e comportamento. Ama karaokês, filmes ruins, séries bagaceiras, videogame e jogos de tabuleiro. No Hypeness desde 2020.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
A igreja que detém os direitos de hits de Rihanna e Beyoncé como ‘Umbrella’ e ‘Single Ladies’