Inspiração

Leo Áquilla rasga certidão de nascimento e se emociona: ‘graças à minha luta me tornei Leonora’

por: Karol Gomes

A apresentadora Léo Áquilla protagonizou uma cena emocionante no programa A Tarde É Sua na RedeTV!, nesta quarta-feira (14). Colunista fixa da atração vespertina comandada pela apresentadora Sonia Abraão, ela contou que conseguiu mudar seu nome de registro em sua certidão de nascimento e chorou, ao vivo, ao rasgar a versão antiga do documento.

Agora oficialmente Leonora Mendes de Lima, a apresentadora fez um importante relato sobre sua vitória e não conteve as lágrimas: “Hoje sou uma nova pessoa, nunca vou deixar de ser grata. Um dia já fui o Jadson, graças à minha luta me tornei Leonora”, explicou ela e em seguida rasgou a certidão de nascimento antiga.

– Ela foi a primeira diretora transexual em cartaz no Theatro Municipal

Em suas redes sociais, Léo Áquilla mostrou o momento em que foi buscar a nova certidão e agradeceu seu advogado, Victor Teixeira, por ter conseguido o novo documento em 15 dias. No vídeo, ela também falou sobre o último constrangimento que passou como uma pessoa trans e pôs fim a décadas de perseguição e chacota.

– A evolução de mulheres transexuais no cinema é um marco de representatividade

“No mês passado, visitei o Thammy Miranda na Câmara dos Vereadores. Na portaria, a balconista pediu meu documento para registrar a entrada e começou a gritar meu nome de registro na recepção. Falei: ‘Moça, vem cá, você não sabe lidar com uma pessoa trans? Você não está enxergando uma mulher? Como você me faz passar esse constrangimento?’. Aquilo foi a gota d’água”, relatou Léo.

– Sikêra Jr. tem preconceito exposto por ‘Ex-BBB’ Ariadna após dizer que trans não se aceitam

Ela contou ainda que Thammy ficou indignado com a situação, que chamou de inadmissível e apresentou a Léo o advogado – um homem trans, assim como Thammy – que conseguiu a mudança na certidão de nascimento, o que pode ajudá-la a atualizar todos os seus documentos. 

A retificação de nome e gênero nos registros civis é um direito das pessoas trans (travestis, transexuais, homens e mulheres trans e pessoas não-binárias) no Brasil desde o ano passado, quando o Supremo Tribunal Federal se pronunciou a favor da histórica demanda da comunidade trans. A retificação independe de cirurgias ou de laudo pericial e pode ser realizada em cartórios.

Publicidade

Foto 1: Reprodução / Rede TV!
Foto 2: Reprodução / Instagram


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Morre Marlene, precursora do basquete feminino do Brasil e capitã da seleção em 60 e 70