Criatividade

Museu da magia e feitiçaria promove mostras incomuns, poderosas e assustadoras

por: Vitor Paiva

Na cidade de Cleveland, nos EUA, o Buckland Museum of Witchcraft and Magick é o único museu dos EUA a “celebrar a bruxaria e o oculto e suas culturas relacionadas”. Assim, o museu celebra a bruxaria em seu imenso significado simbólico, como um importante fenômeno cultural que atravessa séculos e fronteiras, através de uma aproximação antropológica do folclore sobrenatural.

A entrada do museu, em Cleveland, nos EUA © Facebook

E a próxima exposição que o Buckland Museum irá receber foca especialmente em alguns sentidos históricos –  expondo uma série de fotografias, impressões, pinturas, desenhos e outros objetos artísticos do passado. Mas não somente: a coleção mistura os registros vintage de bruxaria com peças contemporâneas registrando fantasmas, espectros e outros tantos fenômenos paranormais. A exibição reúne peças variadas do acervo privado do colecionador estadunidense Stephen Romano, colaborador frequente do museu.

Varinha mágica do século XIX

Para Steven Intermill, diretor do museu, a coleção de Romano é especial, como uma grande reunião de documentos históricos, entre varinhas mágicas, fotos, manuscritos, pinturas e ilustrações, sobre tal universo. “Sempre ficamos animados quando Romano nos traz seus brinquedos para a gente brincar – sua coleção é um vasto registro da história do mistério”, afirma Intermill. “Esses trabalhos são impactantes e lindos, imperdíveis para quem tem interesse na metafísica ou quem estuda o oculto”.

“Obsessão”, foto de William Mortensen de 1928

Fotos de fantasmas registradas por William Hope nos anos 1920

A abertura da exposição aconteceu no último dia 01 de outubro, e permanecerá no Buckland Museum of Witchcraft and Magick até dezembro na cidade de Cleveland, no estado de Ohio, nos EUA. Por conta dos protocolos de segurança relativos à pandemia, as visitas precisam ser previamente agendadas – e as máscaras são obrigatórias, tanto para os visitantes vivos quanto para os fantasmas.

Porta-cachimbo do Séc. XIX

Página manuscrita do século XIX

“O Fantasma”, foto dos anos 1920

Página manuscrita mostrando demônios feita em Rajasthan, na Índia, no início do século XX

“Aparição”, foto de Nahw Yg

“A Tentação de Santo Antônio”, de Jacques Callot (1635)

Foto de Jack Edwards, dos anos 1940

“Fantasma de Bernadette Soubirous (espírito da freira)” – 1880

“A Luz”, pintura de Fritz Gareis dos anos 1920

Foto tirada nos anos 1960 de autor desconhecido

Foto tirada nos anos 1940 de autor desconhecido

 

 

 

 

 

 

 

Publicidade

© fotos: acervo/Stephen Romano


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Salem, o gato ‘Nazaré’ que roubou o filhote de outra gata e virou chuva de memes