Sustentabilidade

O salmão consumido no Brasil está acabando com a costa chilena

por: Redação Hypeness

Comer em um rodízio de japonês pode soar como uma ótima ideia para quem gosta das iguarias orientais. O que muita gente não sabe é que o salmão comprado como matéria prima em restaurantes do tipo por aqui não tem nada de asiático: ele é criado em cativeiros no Chile, ambientes que estão cada vez mais prejudicando os ecossistemas locais. 

Da fábrica para o prato: o que acontece com os animais nesse processo

Salmão que chega ao Brasil é em esmagadora maioria proveniente da costa do Chile.

O salmão que costumamos comer no Brasil não é silvestre. Ou seja, ele não se desenvolve de forma livre e é pescado. Ele é criado em cativeiro, à base de muita ração e antibióticos. Os animais costumam ficar presos em gaiolas presas na costa chilena enquanto se desenvolvem, antes de serem comercializados. A prática tem se tornado cada vez mais preocupante por uma série de motivos.

O primeiro deles é que os resíduos, corantes e produtos químicos usados nos criadouros (conhecidos como “salmoneras” estão, aos poucos, destruindo fauna e flora submarinas locais. Além disso, uma enorme quantidade desses salmões acabam escapando de suas gaiolas e fogem para águas abertas, onde acabam se alimentando de peixes nativos e prejudicando até mesmo a existência de algumas espécies. 

Este sashimi vegano tem aparência e sabor de peixe, mas não leva nada de origem animal

Vista das fazendas de salmão na Ilha Grande de Chiloé, na costa do Chile.

Tem rio aqui que já não tem outro peixe que não seja salmão”, conta Alex Muñoz, advogado ambientalista, em entrevista ao “Uol”. Ele tenta impedir a degradação ambiental causada pelas salmoneras no Chile. 

O vizinho sul-americano é o segundo maior produtor mundial de salmão, atrás apenas da Noruega. A região da Patagônia é responsável pela produção de cerca de 800 mil toneladas anuais do peixe. 

Professora de biologia testa sashimis com alunos e descobre que a maioria é fraude

É enorme a quantidade de contaminação que se lança ao mar. Ela cobre corais, algas, crustáceos, estrelas-do-mar deixando um deserto embaixo d’água. São montanhas de resíduos, que degradam todo o entorno”, diz. “Quando as pessoas comem salmão no Brasil, devem saber que esse peixe foi produzido com grande impacto ambiental e social.

Publicidade

Fotos: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Galinhas substituem agrotóxicos em ação contra veneno na agricultura