Sustentabilidade

Plantando alimentos no quintal ela se tornou referência gastronômica no Piauí

por: Redação Hypeness

Perpétua Macêdo se surpreende quando pensa que seus conhecimentos culinários viraram livro. “Nunca pensei que minhas receitas um dia seriam publicadas”, ela diz, em entrevista. Aos 31 anos, a piauiense transformou sua história na gastronomia em “Gastroquinta: comida do quintal para a mesa”, lançado pelo Programa Semear Internacional, em parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e o Projeto Viva o Semiárido. 

Lista de contatos de agricultores orgânicos e agroecológicos para compras conscientes

Perpétua Macêdo é chef de gastronomia especializada no semiárido nordestino.

Maria Perpétua Socorro Macedo do Nascimento, da comunidade de São José dos Cocos, em Ipiranga do Piauí, estava acostumada a cozinhar em casa, enquanto seus pais saíam para trabalhar na roça. Hoje, ela utiliza seus conhecimentos — adquiridos por meio de receitas familiares e experimentações próprias — para capacitar outras mulheres nordestinas. O nome do livro, “Gastroquinta”, é uma referência à gastronomia que se utiliza do que há nos quintais familiares da zona rural semiárida. A obra está disponível para download gratuito no portal do Semear Internacional.

Desde cedo que eu cozinho. Aprendi vendo minha mãe e minha avó cozinharem. Mas foi só a partir de uma experiência que tive a oportunidade de participar, que foi um intercâmbio, que despertou o prazer pela gastronomia. Onde eu percebi o quanto a gastronomia interfere no nosso modo de vida, onde ela influencia na nossa saúde e proporciona momentos prazerosos em família”, explica a chef, em um vídeo publicado no YouTube do Programa Semear. Além de cozinhar, Perpétua é graduada em Pedagogia e História, e pós-graduada em Psicopedagogia e Teologia.

Refugiados e agricultores da zona sul de São Paulo se unem para alimentar comunidades vulneráveis

Entre suas receitas mais pedidas estão o bolinho de massa de milho, o doce de buriti e a pizza de macaxeira. Essas e outras 12 estão no livro. Boa parte delas utilizam-se de ingredientes típicos do semiárido, como a palma, uma espécie de cacto, usado por Perpétua para fazer um suco detox, por exemplo. 

O livro de Perpétua, além de resgatar tradições locais e manter viva a cultura gastronômica do interior do Piauí, estimula a conversa sobre alimentação familiar nas zonas rurais. As receitas também são assinadas pelo jovem Antoniel Ferraz, de 19 anos. 

Nessa obra, a gastronomia tem a importante função de valorizar a identidade do território e a agrobiodiversidade local, fortalecendo a cultura do alimento – tratado de forma ampla, como um conjunto de crenças, tradições, oralidades e saberes”, diz Rebecca Tapie, curadora e consultora do “Gastroquinta”.

Doceria no Espírito Santo chama a atenção com brigadeiros feitos com cachaça de jambu e formigas saúvas

Publicidade

Fotos: Projeto Semear Internacional


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Técnica japonesa de poda permite obter madeira sem derrubar árvores