Ciência

Qual é a melhor forma de fazer cocô? A ciência tem a resposta

por: Redação Hypeness

A sua posição, o que você come e a quantidade de exercícios físicos que você faz podem te ajudar a fazer cocô do jeito “certo”. Se você nunca havia pensado nisso, chegou a hora porque, sim, existe uma forma ideal de ir ao banheiro para fazer o número dois. 

O vaso sanitário vai impedir que o cheiro do cocô se espalhe

A primeira etapa a se ajustar é a sua postura durante o, digamos, processo. A melhor forma de se posicionar para fazer cocô seria literalmente agachado de cócoras. A estrutura das privadas convencionais dificulta isso e é comum as pessoas irem ao banheiro com os pés fixados ao chão, sentadas como se estivessem em uma cadeira comum. Para melhor o movimento intestinal e diminuir a força feita na evacuação, procure utilizar apoios para os pés (é fácil encontrar um online), curvando o tronco para frente com os cotovelos apoiados sobre os joelhos.

Estudos já comprovaram a eficácia de usar a plataforma nos pés. Cerca de 90% das pessoas que passaram a usá-lo precisaram fazer menos força na hora de ir ao banheiro. Mais de 70% passaram menos tempo no vaso do que antes da experiência. Ah, vale lembrar que ficar muito tempo sentado no vaso lendo ou mexendo no celular pode colocar pressão em excesso sobre o seu reto. Não fique mais tempo além do necessário no vaso, ok?

Podem as fezes de outra pessoa te ajudar a perder peso? 

Outra dica valiosa é: coloque seu corpo para se mexer e faça exercícios regularmente. Quanto mais movimento você fizer, mas em atividade as suas entranhas vão estar. Isso ajuda a movimentar gases e resíduos pelo corpo (se você costuma correr, sabe como isso é real) que pode se traduzir em vontade de ir ao banheiro. Sempre bom destacar que quanto menos tempo suas fezes permanecem no intestino grosso, menos o órgão absorve a água delas. Cocôs hidratados são mais fáceis de evacuar. 

A ciência divide as fezes humanas em sete categorias de acordo com uma escala chamada “Escala de fezes de Bristol”. Ela foi desenvolvida em 1997 na Universidade de Bristol, na Inglaterra e define sete tipos de cocô que vão desde “caroços duros e separados como nozes”, que definem uma constipação severa, a “inteiramente líquido sem partes sólidas”, que caracterizam uma diarreia severa. 

Escala de Fezes de Bristol

A Escala de Fezes de Bristol estabelece sete estágio de cocô: 1 e 2 são duras, 3 e 4 são as normais, de 5 a 7 é falta de fibra insolúvel ou diarreia.

Papel de fezes de elefante ajuda a combater o desmatamento e preservar a espécie

Por último mas não menos importante está a alimentação. Na verdade, aqui falamos de um dos itens mais fundamentais para um cocô saudável. A quantidade de fibras que você come é primordial em determinar o estado das suas fezes. 

Há dois tipos delas: as solúveis (presentes em polpa de frutas, tubérculos e grãos cozidos, por exemplo). Essas são boas para o caso  do seu cocô estar um pouco “mole”, como nos estágios 6 e 7. As fibras do tipo insolúveis (que estão nas cascas de frutas, folhas verdes ou em grãos integrais) são boas para dar volume a fezes secas e ideais para a alimentação de quem está entre os estágios 1 e 2. 

Publicidade

Destaques: Unsplash // Foto 1: Unsplash / Foto 2: WikiCommons


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Síndrome provoca mudança na coloração dos olhos em população nativa da Indonésia