Debate

Quatro roteiristas já se demitiram de série de José padilha sobre Marielle Franco

por: Karol Gomes

Segundo a coluna de Alcelmo Gois, no jornal O Globo, quatro roteiristas da série de ficção sobre Marielle Franco pediram demissão por divergências sobre a condução do projeto, idealizado por Antônia Pellegrino (“Bruna Surfistinha”) e dirigido por José Padilha (“Tropa de Elite”). A série será lançada na plataforma Globoplay, que teria atravessado a Amazon na negociação do projeto.

A composição da equipe que atua na série teria sido resultado de questionamentos nas redes sociais, porque os três principais envolvidos na série, a criadora do projeto, Antonia Pellegrino, o diretor Padilha e o autor indicado pela Globo para supervisionar os trabalhos, George Moura, são brancos. 

– Taís Araújo vai representar Marielle Franco em especial da Globo

A liderança então formou um time de duas pesquisadoras, quatro roteiristas e um diretor, todos negros. Dos sete, os quatro roteiristas deixaram o trabalho. Pelo jeito, a representatividade foi atendida por Padilha, Moura e Pellegrino, mas as ideias continuam sendo predominantes de um grupo que não faz jus a vida de Marielle. 

– Família de Marielle Franco cria agenda pública para candidaturas de todo o Brasil

Vereadora pelo PSOL, Marielle Franco era negra, lésbica e feminista, e sempre militou por políticas de inclusão racial e social. As divergências dos roteiristas seriam sobre os caminhos narrativos escolhidos para a produção, que ainda está em fase inicial e não tem nenhum capítulo completamente escrito. 

– Spike Lee? 5 cineastas negros brasileiros para Antonia Pellegrino se livrar do racismo estrutural

Mas a crise também acrescenta mais questionamento à produção, incluindo a prática do “tokenismo”, ou seja, uma ação apenas simbólica (no caso, a contratação de roteiristas negros) destinada a responder à crítica de falta de diversidade racial e inclusão na produção.

Além da questão racial, houve muitas críticas ao envolvimento de Padilha no projeto, especialmente após a realização da série “O Mecanismo” (2018), que glorificou a operação Lava Jato e o então juiz Sérgio Moro.

– Autora de série sobre Marielle na Globo se desculpa após acusação de racismo: ‘Frase estúpida’

Por outro lado, Antonia Pellegrino é esposa do deputado federal Marcelo Freixo, do PSOL, mesmo partido de Marielle, além de amigo pessoal da ex-vereadora. Antonia é coautora de novelas da Globo – “Da Cor do Pecado” (2004) e “Aquele Beijo” (2011), entre outras – , além de ter escrito o roteiro do filme “Bruna Surfistinha” (2011).

Publicidade

Fotos: Getty Images


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Homem morto é coberto com plástico e padaria segue funcionando normalmente